jun 03

Letramento Digital: competências e habilidades para navegação em rede

A discussão a que se propõe este trabalho apresenta como objetivo nortear alguns conceitos que permeiam o letramento digital. Por meio de uma pesquisa bibliográfica, relaciona o desenvolvimento do letramento digital, sua importância, bem como a necessidade de habilidades e de competências que possam assegurar o uso das tecnologias em seus mais diversos aspectos.
Autores: Josiane Brunetti Cani Ferrari

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 21

Em que medida o letramento digital afeta a inclusão social

Este trabalho discorre sobre Letramento Digital, apontando sua importância mediante a ascensão das novas tecnologias. Por meio de um levantamento bibliográfico de autores como Soares (2002), Marcuschi (2002) e Coscarelli (2011), salientamos a necessidade de investimentos na educação, principalmente no que se refere à inclusão social.
Autores: Isabela Azevedo Miranda
Luísa Faria de Almeida Braga

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 21

O lugar do letramento digital na escola pública

Partindo da premissa de que as TIC’s ocupam um espaço significativo na organização da sociedade moderna e nas relações que nela se estabelecem, faz-se inadiável a tarefa de conferirmos às TIC’s o seu devido lugar na educação e de criarmos mecanismos eficazes para que a escola (pública) explore amplamente os recursos que tem à sua disposição para que possa (a) instrumentalizar seus alunos a lidar com tais ferramentas e (b) promover a inclusão sociodigital por meio das práticas escolares.
Autores: Tatiana do Nascimento Cavalcante

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 21

Liberdade virtual à luz do letramento crítico: o professor como agente transformador

Com base na leitura de textos relacionados aos temas em questão e nas práticas adotadas no ensino de língua estrangeira, este artigo visa apresentar e discutir as possibilidades de abordagem nas quais o letramento digital seja feito à luz do letramento crítico, viabilizando discussões em aula sobre a importância da liberdade virtual, de modo que o professor seja um agente multiplicador no processo de adoção de ferramentas que levem a liberdade aos usuários de tecnologia.
PALAVRAS-CHAVE: letramento digital, letramento crítico, tecnologia e ensino de língua estrangeira, liberdade virtual, professor.
Autores: Ester Guimarães Teixeira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui