Uma Plataforma de Ciência Aberta para o Brasil

Esta conferência de abertura vem apresentar os resultados alcançados na tese de doutoramento da autora. Mais do que compartilhar conclusões de um estudo acadêmico, conclama uma posição política do Estado brasileiro em prol do desenvolvimento da Ciência Aberta como princípio para a produção científica nacional sob financiamento público.
Palavras-chave: ciência aberta; política de comunicação, comunicação científica, acesso livre.
Autores: Viviane Toraci Alonso de Andrade

Ouça o podcast:

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

11 thoughts on “Uma Plataforma de Ciência Aberta para o Brasil

    • Isso, tamaraedu. Um dos principais objetivos da Ciência Aberta é maximizar os investimentos públicos em ciência, permitindo avanços mais rápidos, com custos menores, através do compartilhamento de dados, informações e conhecimento. Afinal, o desenvolvimento da ciência deve buscar a melhoria da nossa relação com o mundo.

  1. Parabéns a autora ter colocado o podcast é muito interessante principalmente para as pessoas especiais. As experiencia relatadas são ricas e concordo quando diz que o controle social ainda é mais poderoso. Realmente há uma necessidade que as produções cientificas sofram mudanças até porque o número de pessoas que conseguem ter acesso ainda é muito pequeno.
    Levando em consideração o tempo que você fez sua tese de doutorado, na sua opinião o a posição política do Estado brasileiro demostra interesse em fazer mudanças, em tornar acessível a produção cientifica nos dias de hoje?

    • Olá Natiele. A ideia do podcast buscou isso mesmo – permitir que todos tenham acesso ao conhecimento. E também defender que podemos fazer ciência multimodal, com texto escrito, áudio, vídeo, hipertexto, enfim, todas as linguagens disponíveis. E vou além: precisamos trabalhar mais a Divulgação Científica, para tornar a linguagem da ciência mais próxima de todos aqueles que são afetados por ela, e que querem discutir e produzir junto conosco.

      Sobre a posição do Estado brasileiro, acredito que continua interessado em abrir o acesso à produção científica. As discussões estão presentes na Capes e no CNPq, mas é preciso tempo para desenvolver as políticas e os sistemas.

  2. Parabéns à autora pelo artigo! Ótimas reflexões nos dias atuais, no qual a Tecnologia está em toda parte, buscamos nesse sentido a compreensão desse mundo digital e vamos além de uma mera leitura no processo e sim a reflexão.

    • Luciane, a tecnologia faz parte do nosso cotidiano, mas precisamos nos posicionar como cidadãos críticos. Não somos “simples usuários”, mas produtores de uma nova sociedade.

  3. Pingback: O UEADSL é um jogo aberto – Ciência Aberta

  4. Pingback: Público engajado e conferências com temas variados marcaram edição do UEaDSL – CAED – Centro de Apoio à Educação a Distância

Deixe uma resposta