Novas Tecnologias no Âmbito Educacional

Este trabalho tem por objetivo a utilização dos computadores na escola, como um meio de ensino e aprendizagem, levando a uma reflexão no preparo dos professores sobre o uso de novas tecnologias em sala de aula e como influenciam no processo de ensino e aprendizagem, no âmbito educacional. Como método de pesquisa utilizou-se a Pesquisa Bibliográfica baseadas nas contribuições de Almeida (2000), Costa (2010), MEC (2007), Rios (2011) Ribas (2013), Vailant (2012), Valente (1997).
Autores: Luciane Aparecida Varela
Daniel Gabriel Fontes
Jocimara da Silva
Daniel Ascoli
Lucas De Oliveira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2017.2

34 thoughts on “Novas Tecnologias no Âmbito Educacional

  1. Usar o computador para promover ação e reflexão não é uma tarefa fácil em uma sociedade abarrotada de propagandas em meios físicos e tecnológicos que colocam preços na atenção de todas as pessoas levando-as a interesses alheios ao conhecimento e tornando a atenção um produto mercadológico. Como usar o computador para seduzir os educandos para o conhecimento nesse contexto? As metodologias pedagógicas aliadas à articulação dos atores envolvidos podem ser as chaves para alcançar uma ação e reflexão dos educandos?

    • Com certeza nos momentos atuais promover a ação e reflexão não é uma tarefa fácil, é necessário cuidar da preparação para o que uso dos recursos digitais não desviem do aprendizado, restringindo em atividades ou entretenimento que possam ser feitos fora de sala de aula, nesse sentido temos que ter em mãos uma pesquisa que nos mostre: Que tipos de aparelhos os alunos mais usam fora de sala de aula? Quais aplicativos mais utilizam? Qual o conhecimento com recursos disponíveis no mercado? O que gostariam de aprender? Enfim conhecer meu aluno, o que ele tem como bagagem nesse processo. A partir do conhecimento de quem é meu aluno, podemos ensinar como e quando cada recurso poderá ser usado, direcionar a capacidade dos alunos utilizarem os recursos digitais em seu próprio benefício, reduzindo seu uso inadequado e aumentando sua habilidade de lidar corretamente com eles.
      É preciso estudar a melhor maneira de empregar a tecnologia nas escolas, para que esta traga benefícios para professores alunos, comunidade envolvida, aumentando a motivação de todos na busca pelo conhecimento.

  2. Parabéns pelo trabalho! O uso do computador em sala de aula é importantíssimo para a aprendizagem de nossos alunos, porém como inseri-la se nem todas as escolas possuem computador? Onde faço estágio, há vários computadores mas nem todos funcionam. Como lidar com isso nas escolas públicas e qual/ais medidas podem ser tomadas em relação ao pouco uso desse recurso?

    • Muito obrigado, assunto para grandes discussões, realmente o computador nesse momento atual se faz de grande importância, nos deparamos em muitos casos com a falta de computador na escola, nesse sentido, reforçamos a utilização de outras formas de tecnologias, bem como as ferramentas no processo de ensino e aprendizagem. Acredito que um trabalho conjunto entre escola, sociedade, se faz necessário, é um longa jornada a qual temos que percorrer, políticas educacionais são de grande importância para que cada vez mais se tenha acesso a tecnologia no âmbito educacional.

  3. Parabéns, ótimo trabalho assunto interessantíssimo, mais lendo ele me veio uma questão de como acabar com a falta de estrutura de algumas escolas para poderem incluir as novas tecnologias no meio educacional?

    • Realmente no momento atual a falta de estruturas em algumas, se não dizer na maioria das escolas da rede pública se faz muito presente, nesse sentido torna-se difícil o acesso a novas tecnologias, em nosso trabalho comentamos que tecnologia não são somente computadores, softwares, mas as tecnologias utilizadas como os meios, apoios, ferramentas que utilizamos no dia a dia, um dos grandes desafios na sociedade atual a qual vivemos é o sistema educacional, em que a educação que deveria ser prioridade acaba sendo deixada de lado, assim essas estruturas também ficam precárias, temos aí um grande desafio pela frente.

  4. Agradecemos e damos as Boas Vindas ao público e mesários que vieram enriquecer nosso trabalho, esperamos que juntos possamos ter um ótimo evento.

  5. Utilizar o computador como recurso de ensino e aprendizagem tornou-se uma necessidade. Nesse cenário, alguns fatores ainda são questionáveis no que se refere ao uso de novas tecnologias na sala de aula, principalmente em escolas públicas. Os professores têm recebido capacitação para o emprego de tecnologias na sala de aula? Existe pessoal de capacitação disponível para fornecer a capacitação adequada? As escolas fornecem equipamentos e recursos tecnológicos adequados e disponíveis para os alunos?. Às vezes há uma cobrança de inovação por parte do professor, todavia há falta de apoio para que se tenha uma preparação adequada por meio da formação continuada.

    • Realmente as cobranças acabam sempre ao professor, elencamos nesse sentido a existência de políticas educacionais as quais proporcionem a capacitação aos professores no que possam fornecer uma aprendizagem adequada, sei que estamos muito longe, nos tempos atuais talvez uma utopia em pensar em políticas voltadas a educação, mas acredito que juntos podemos batalhar por melhores condições em nossas escolas.

  6. Estamos vivenciando uma nova forma de comunicação e produção do conhecimento – e isso tem transformado a vida em sociedade. Com o advento das tecnologias, sobretudo a internet, passaram a existir vários espaços disponíveis para interação com o outro, e a linguagem utilizada em rede passou a se popularizar e ganhar outras dimensões.
    Nesse sentido, atualmente, a internet hoje pode ser acessada por diferentes dispositivos tecnológicos que não mais estão fixos em um determinado local (com um computador destok), mas que pode ser levado e acessado a qualquer lugar (a exemplo o notbook, celular e outros), proporcionando às pessoas mobilidade física e virtual.
    Em se tratando do meio educacional, compartilho com o pensamento de Lucena, Linhares e Ramos (2012), quando eles mencionam que
    a entrada das tecnologias móveis na escola torna o ambiente educacional prenhe de novas formas de produção do conhecimento, de compartilhamento de conteúdo e de distribuição de informação, pois os espaços físicos ganham novas configurações e potencialidades que ultrapassam os muros da escola (p.380)
    Com isso, os espaços de aprendizagens, ganharam possibilidades de conexão com outros espaços e outras pessoas. Nesse sentido, a escola deve e precisa expandir o acesso à informação atualizada e, principalmente, contribuir na construção do conhecimento dos seus alunos, de modo a vincular-se a comunidade externa e a outros contextos sociais.
    Vale destacar a importância dos recursos tecnológicos somados ao preparo do profissional, pois, como já mencionado, as tecnologias são aparatos que criam condições de aprendizagens. Afinal, uma escola sem um modelo de ensino atualizado e que ignora a influência da informática e outros recursos aos seus alunos, esta, corre o risco de tornar o alunado desatendo as metodologias pedagógicas e cair-se ao comodismo do didatismo conteudista e tradicional.

    Referência
    LUCENA, Simone; LINHARES, Ronaldo Nunes; RAMOS, Fernando. Mobilidade conectada nas escolas: os casos Brasil e Portugal. In: Revista Teias, v.13, n.30, p.377-390, set/dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 out.2015

  7. Parabéns pelo belíssimo trabalhado apresentado!

    Segue acréscimos, no intuito de somar a pesquisa abordada.

    Estamos vivenciando uma nova forma de comunicação e produção do conhecimento – e isso tem transformado a vida em sociedade. Com o advento das tecnologias, sobretudo a internet, passaram a existir vários espaços disponíveis para interação com o outro, e a linguagem utilizada em rede passou a se popularizar e ganhar outras dimensões.
    Nesse sentido, atualmente, a internet hoje pode ser acessada por diferentes dispositivos tecnológicos que não mais estão fixos em um determinado local (com um computador destok), mas que pode ser levado e acessado a qualquer lugar (a exemplo o notbook, celular e outros), proporcionando às pessoas mobilidade física e virtual.
    Em se tratando do meio educacional, compartilho com o pensamento de Lucena, Linhares e Ramos (2012), quando eles mencionam que
    a entrada das tecnologias móveis na escola torna o ambiente educacional prenhe de novas formas de produção do conhecimento, de compartilhamento de conteúdo e de distribuição de informação, pois os espaços físicos ganham novas configurações e potencialidades que ultrapassam os muros da escola (p.380)
    Com isso, os espaços de aprendizagens, ganharam possibilidades de conexão com outros espaços e outras pessoas. Nesse sentido, a escola deve e precisa expandir o acesso à informação atualizada e, principalmente, contribuir na construção do conhecimento dos seus alunos, de modo a vincular-se a comunidade externa e a outros contextos sociais.
    Vale destacar a importância dos recursos tecnológicos somados ao preparo do profissional, pois, como já mencionado, as tecnologias são aparatos que criam condições de aprendizagens. Afinal, uma escola sem um modelo de ensino atualizado e que ignora a influência da informática e outros recursos aos seus alunos, esta, corre o risco de tornar o alunado desatendo as metodologias pedagógicas e cair-se ao comodismo do didatismo conteudista e tradicional.

    Referência
    LUCENA, Simone; LINHARES, Ronaldo Nunes; RAMOS, Fernando. Mobilidade conectada nas escolas: os casos Brasil e Portugal. In: Revista Teias, v.13, n.30, p.377-390, set/dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 out.2015

      • Vocês conseguiram amarrar as ideias de forma clara e objetiva, o trabalho está riquíssimo. Parabéns mesmo!

        Sucessos!

  8. Boa noite,este método de ensino é muito rico por possuir muitas informações,mas os professores que pretender trabalhar com tecnologia devem se policiar pois além de ser muito importante ele pode se tornar perigoso pelos antivírus,pelas pessoas maldosas que podem estar escondidas em site entre outros.
    Mas tirando isto é uma excelente ideia para uma aprendizagem mais completa.

  9. Boa noite,este método de ensino é muito rico por possuir muitas informações,mas os professores que pretender trabalhar com tecnologia devem se policiar pois além de ser muito importante ele pode se tornar perigoso pelos antivírus,pelas pessoas maldosas que podem estar escondidas em site entre outros.
    Mas tirando isto é uma excelente ideia para uma aprendizagem mais completa

    • Bom dia, muito obrigado pelo comentário, realmente acredito na formação do professor nesse processo, além da melhoria nas estruturas das escolas.

  10. Em pesquisas, o combate a falta de estruturas, é a utilização de tecnologias domésticas, com metodologia ubíqua. Ótima reflexão sobre a educação continuada dos professores no preparo para novas tecnologias. Parabéns!

    • Muito obrigado pelo comentário, nesse sentido a formação do professor só vem somar no momento atual de nossa educação.

  11. Parabéns pelo artigo, muito interessante e de importante relevância educacional. No meio contemporâneo das tecnologias educacionais, quais ações de conscientização e aperfeiçoamento podem ser realizadas junto aos agentes da educação?

    • Agradeço ao comentário, e a conscientização é algo complexo e de acordo com o interesse de cada profissional, mas ações como educação permanente, seria bom que existissem centros de apoio aos professores que pudessem testar programas e receber orientações sobre o uso. É necessário uma cooperação local e regional, estimular encontros mensais para troca de experiências, que nossos governos promovessem cursos ou outras instituições acerca de treinamentos, colocar a tecnologia educacional em uma perspectiva de um esforço coletivo, na busca pela de quebra de paradigmas.

  12. Olá, caros autores!

    Parabenizo vocês pela bela proposta de reflexão sobre os usos do computador na escola. Lembro que em outra ocasião nós educadores discutíamos a carencia de recursos tecnológicos e clamávamos por laboratórios de informática nas escolas. Uma década se passou e muito se conquistou, mas ainda hoje sofremos com flata de estrutura e suporte técnico. Já vivenciei tentativas frustradas de formações continuadas pela falta de pessoal capacitado. E onde tinham esses profissionais pouco conseguiam atender as demandas da escola. De qualquer modo, nos trazer esse texto para leitura é extremamente pertinente, pois mesmo que a tendência seja a utilização de recursos móveis como tablets e smartphones não há como nos distanciarmo dos PCs dos Labinfos.

    • Muito obrigado! Estamos vivendo em um momento muito defasado em nossa educação, mas acreditamos que podemos propiciar aos nossos alunos uma conscientização acerca do uso reflexivo do computador em sala de aula, mesmo com muita precariedade nas políticas educacionais.

  13. Agradeço ao comentário, e a conscientização é algo complexo e de acordo com o interesse de cada profissional, mas ações como educação permanente, seria bom que existissem centros de apoio aos professores que pudessem testar programas e receber orientações sobre o uso. É necessário uma cooperação local e regional, estimular encontros mensais para troca de experiências, que nossos governos promovessem cursos ou outras instituições acerca de treinamentos, colocar a tecnologia educacional em uma perspectiva de um esforço coletivo, na busca pela de quebra de paradigmas.

  14. Parabéns pelo trabalho! Uma bela proposta sobre o uso do computador na escola. Vocês conseguiram vincular as ideias de forma clara e direta, o trabalho está magnifico.Utilizar o computador como recurso de ensino e aprendizagem tornou-se uma necessidade. Parabéns mesmo

    • Cara Lenilda agradeço pelo comentário, concordo com sua reflexão e que venham mais debates a respeito, enriquecendo cada vez mais nossa educação.

  15. Uma reflexão que faço a respeito do desafio de quem está no papel de educador que usa o computador no ensino-aprendizagem é a construção do significado de utilizá-lo. Vejo que a busca do significado está desde a luta pela estrutura dos laboratórios, na formação continuada, seja por parte do educador, seja pelos atores dos vários níveis envolvidos com a educação, assim como no próprio planejamento e execução no encontro com os educandos.

    • Caro Leonardo, obrigado pela reflexão e realmente temos que analisar todo o contexto e lutar por melhorias em todos os setores educacionais, em que possamos almejar uma aprendizagem pautada na busca pelo conhecimento.

  16. A história que registrou os abusos do poder, neste período da ditadura militar
    brasileira, é a mesma que registrou a resistência de milhares de brasileiros pela
    liberdade e pelo direito de expressão. Aqueles que tentaram fazer calar a voz do povo
    tiveram que manchar as mãos e a consciência de sangue e, mesmo assim, não obtiveram
    a vitória.

    A máquina repressora podia tirar a vida, mas não arrancava o ideal de
    esperança e liberdade do coração e da mente dos militantes civis. Os algozes
    desconheciam que a prisão de homens e mulheres idealistas, não era o ocaso, mas um
    palanque onde o ideal ressurgia com mais força.

    Parabéns aos autores.

    Abraços;

    Ricardo Tadeu Barbosa.

  17. Bom dia!
    Realmente não adianta ter acesso as ferramentas e inovações tecnológicas nos espaços escolares se for mantida uma concepção tradicional de ensino. Assim, torna-se necessário a formação docente com vistas a práticas pedagógicas contemporâneas, incluindo o treinamento no uso das tecnologias. Muito bom! Parabéns as autoras e autores

    • Bom dia Silvio, muito obrigado pela reflexão, esperamos que juntos podemos (re)pensar a prática pedagógica, contando com o apoio de toda comunidade escolar.

  18. É um desafio para a educação brasileira aproveitar as tecnologias disponíveis e manipuladas pelos alunos em seu cotidiano social. Mas um questionamento levantado pelos docentes no qual me incluo, seria que apesar de conectados o uso das tecnologias como internet, sites, blog, aplicativos por alunos não ocorre no âmbito proveitoso e sim eu diria apenas que exclusivamente em redes sociais. Em várias conversas com alunos no caso, do ensino básico, podemos perceber que essa interação acontece de maneira pobre, sem maiores filtros pois ao reportar a eles uma atividade vemos que seus principais métodos de seleção de pesquisa é raso e todos utilizam o primeiro site dado pelo Google. Inovar é, portanto, a questão que com certeza paira em nossos pensamentos quando preparamos uma aula que gostaríamos que usufruísse de tecnologia para tornar a aula didatizada mais interessante e versátil. Fica a pergunta que tenho feito todos os dias. Como fazer essa aula interativa e atraente?, pois o conteúdo não se tornou mais de exclusividade do docente e o que deve partir de nós são as experiências do conteúdo.

    • Cara Fabiana, obrigado pelo comentário, acho sua pergunta muito interessante, pois nos dias atuais com tanto acesso as redes sociais fica difícil o trabalho docente, acredito que uma aula interativa e atraente, começa pelo conhecimento ao seu aluno bem como a realidade em que ele vive, abordamos em nosso trabalho que Tecnologias são os meios, os apoios, as ferramentas que utilizamos para que os alunos aprendam. Um primeiro passo é acreditar que as novas tecnologias podem mudar nossas práticas pedagógicas, entender como esses processos podem ajudar no auxílio ao aluno, incentivar a pesquisa na internet, mostrar os diversos meios pelo qual ele possa buscar informações, estimular seus alunos a produzir diversos textos em diferentes formatos, problematizar com eles, valorizar o uso de diferentes recursos tecnológicos para produção de trabalhos, incentivar os alunos a compartilhar seus trabalhos na internet para que qualquer pessoa possa ter acesso, contribuir e fazer críticas; entre outros que nos façam repensar nossa prática pedagógica em sala de aula, sempre contando com o apoio de toda comunidade escolar, incluo nesse parâmetro a família, parte fundamental a todo esse processo, juntos buscamos assim um ensino de qualidade e não quantitativo.