Usos e apropriações do celular no processo de ensino aprendizagem no ensino médio e superior

O trabalho terá como objetivo analisar os usos e apropriações do celular no processo de ensino aprendizagem no ensino médio e superior na perspectiva dos alunos. A partir de entrevistas com questionários fechados com grupos de estudantes de uma turma no ensino médio e outra no ensino superior, procura-se investigar as possibilidades de uso dos dispositivos móveis em sala de aula. A hipótese é de que ainda não são exploradas as potencialidades dos recursos da tecnologia no cotidiano escolar.
Autores: Elivelton Saggiorato Chortaszko

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2017.2

88 thoughts on “Usos e apropriações do celular no processo de ensino aprendizagem no ensino médio e superior

  1. A utilização de dipositivos móveis no processo de ensino aprendizagem é objeto atual de discussão entre educadores. Suas possibilidades e uso podem contribuir nesse processo, mas como? Um debate neste sentido pode ajudar a amadurecer como esses dispositivos podem se inserir neste contexto.

    • Obrigado por sua interrogação, creio que seja de grande valia esclarece-la!Em primeiro momento, é preciso pensar que a pesquisa foi amostral e trabalhou com um público de idade média consideravelmente jovem , logo penso que segundo o que os resultados permitiram-me refletir, as possibilidades de uso de dispositivos móveis no processo de ensino-aprendizagem relacionam-se concomitantemente ao que Bourdieu define como “capital cultural”, ou seja, ao nível de conhecimento e/ou a possibilidade de usufruir de bens culturais, ou neste caso de bens de consumo como o celular, ferramenta em debate neste estudo. Suas possibilidades e uso tenderiam assim, a observar alguns critérios rigorosos, como a realidade social dos alunos e se estes por sua vez possuem ou não um dispositivo do tipo móvel, entre outros fatores. Debates com a sociedade civil , pais, discente e membros da área docente seriam necessários, ademais a participação governamental no sentido de realizar uma pesquisa em campo amplo. O que precisa ser repensado frente a tantas etapas que seriam necessárias para um possível uso de dispositivos móveis como objeto de ensino-aprendizagem – de modo amplificado- são sem dúvida os limites, os quais poderiam ser construídos justamente neste debate ao qual mencionei anteriormente, e o que não pode ser ignorado é que a educação precisa ser instigada massivamente , sob diferentes aspectos, com diferentes recursos. Por isso,defendo a ideia de que o uso de dispositivos como o celular em sala de aula ajudariam neste processo. Sob o aspecto da área tecnológica, os profissionais responsáveis poderiam igualmente contribuir neste debate, uma vez que a área oferta vários tipos de programas, aplicativos e softwares que poderiam ser utilizados em sala de aula, tendo em vista a assimilação de conteúdos frente às realidades tecnológicas que se fazem presentes na sociedade nos dias atuais. Aproveito para inserir aqui uma reflexão, para que ambos possamos pensar sobre, tendo em vista os aprimoramentos tecnológicos frente à diferentes aspectos e necessidades sociais com vista a tornar a vida do ser humano mais cômoda e ágil -como o uso do automóvel, avião e lâmpada elétrica, por exemplo- ,por que não podemos pensar no celular como um destes recursos que poderiam ser usados sob mediação em sala de aula – aqui me reporto sobretudo ao ensino médio ou outras etapas de educação básica- , e tornar o ensino mais prazeroso à docentes e discentes? O debate é amplo, mas creio que seja extremamente válido. Abraço!

      • Achei brilhantes as colocações de vocês. As dúvidas sobre as possibilidades de utilização e as exposições a respeito das possibilidades. Primeiramente, é realmente necessário que tenhamos nas tecnologias, aparatos promissores para uso em sala de aula. Nossas dúvidas são imensas, mas essa utilização ultrapassa os grupos de WhatsApp, ultrapassa também interação e recebimento/envio ,devemos ver nos celulares a possibilidade de ampliação do ensino, através de aplicativos, utilizando-os para pesquisas, para ampliação do conteúdo trabalhado em classe, entre outras coisas. Não vejamos apenas as funções que estes já possuem, coisas básicas, devemos ir além desses “muros”, desses pré-construídos!

  2. Parabéns aos autores, pela pesquisa! Este assunto ainda vai render muito, não vai?
    Só para contribuir gostaria de incitar algumas reflexões… A maturidade do aluno de ensino médio não é a mesma que dos alunos de ensino superior… A escola precisa compreender o nível de disparidade no nível sócio econômico dos seus alunos. Nas escolas públicas temos alguns alunos de famílias ricas, e alguns paupérrimos. Como se faz uma atividade com um alunos portando um celular de última geração, modelo lançamento; e outros alunos que nem possuem celular/ smartphone ? De fato, precisamos pensar em como o celular pode auxiliar no ambiente de ensino..

    • Obrigado por suas reflexões caro Marcelo! Sem dúvida, este assunto tende a render, e todos os pontos aos quais pontuou precisam ser repensados e debatidos em escalas gradativas, nas quais a sociedade civil como um todo poderia contribuir, sobretudo os educadores e discentes em questão. Creio que o Estado enquanto organização social, poderia ajudar neste processo com políticas educacionais que visassem diminuir os desníveis, ou os abismos sociais ,que podem ser observados em relação ao campo educacional. Agradeço a participação de grande valia!Abraço!

      • Olá Pessoal, agora o problema com o login foi corrigido. Achei as duas exposições sensacionais. O debate, extremamente ricos.
        Pessoal, acho que posso olhar esta temática mais de perto, pois consegui imaginar que por exemplo, em minha cidade….este trabalho não vigoraria.
        Em contexto rural, sem acesso à internet, muitos alunos não têm a necessidade de possuir celulares de última geração ou acesso constante à essas tecnologias. Em classe, seria impossível um trabalho com a utilização desse aparato tecnológico. desta forma, tais trabalhos devem ser discutidos,como o autor colocou, de forma gradativa. E mais, acredito que em determinados contextos, podemos ver um trabalho positivo e extremamente amplificador, com relação ao uso e aplicação do celular.
        Parabéns a todos!

        • Obrigado por suas colocações e por nos expor suas experiências pessoais! Creio que o tema tende a ser debatido, e para tal a participação da comunidade civil amplamente contribuiria.Abraço!

    • Exatamente, Marcelo. Há mesmo muito o que se considerar quando o assunto é esse. Por isso é tão importante vermos pesquisas como essa, que nos dá a oportunidade de analisar contextos e refletir sobre estratégias possíveis para utilizar esse tipo de tecnologia em favor da educação.
      Abs,

      Priscilla Tulipa

    • Exatamente, Marcelo! Há muitos fatores a se considerar quando o assunto é esse. É por isso que é tão importante termos acesso a estudos como esse, pois nos oferecem a oportunidade de analisar contextos e refletir sobre estratégias possíveis para o uso desse tipo de tecnologia a favor da educação.
      Abs,

      Priscilla Tulipa

  3. Dentre outros aspectos, o artigo trata também da importância de se introduzir aparatos tecnológicos em sala de aula tendo como objetivo a transformação do processo de ensino e aprendizagem. A simples utilização de celulares, computadores etc, não garantirá a efetividade das ações docentes, mesmo que bem intencionadas.

    • Exatamente , agradeço sua contribuição, sem dúvida é essencial que reflitamos sobre os pontos que mencionou ! É preciso pensar na introdução de aparatos tecnológicos como um todo, haja vista que os documentos maiores da educação brasileira propõem que assim o seja há tempos. Creio que o aprimoramento de meios tecnológicos no campo educacional , uma vez mediado adequadamente,só tende a contribuir na busca de uma educação pública qualitativa e que forme indivíduos atualizados, críticos e reflexivos.Abraço!

    • Com certeza, querido colega. Mas os livros didáticos e outros materiais também não nos dão garantia de nada, percebe?
      Acredito que o autor exponha, que mais do que algo corriqueiro e de uso trivial, o celular pode ser uma ferramenta de trabalho e aprendizado em contexto escolar. Uma observação muito rica, pois em determinadas localidades, os celulares são amplamente utilizados e aproveitados para a escolarização, ainda mais no ensino superior.

  4. Conforme salientado no artigo, o uso de celulares e smartphones é amplo e a cada dia se intensifica a sua utilização, principalmente pelos jovens. A escola precisa se inserir nesta discussão e buscar compreender, metodologicamente, como aproveitar esta disposição de uso destes aparelhos como ferramenta de ensino-aprendizagem. Creio que neste caminho há muitas barreiras e dificuldades, uma delas e que os professores – falo com base nos ambientes que participo e que conheço – são os mais leigos ou os que menos apresentam habilidades de uso das TICs e com isso essas ferramentas são deixadas de lado, mantendo, muitas vezes, o uso de metodologias tradicionais.

    • Obrigado por sua contribuição caro Silvio! Sem dúvida um dos maiores empecilhos neste processo é o uso de metodologias de ensino com vista à um ensino normativo, homogêneo, enraizado no ensino tradicional . É sabido que o novo assusta ao ser humano, mas creio que é essencial que reflitamos sobre como o celular pode ser utilizado como ferramenta de ensino, haja vista que possivelmente poderá contribuir frente à algumas dificuldades persistentes na educação pública como um todo, como a motivação docente e a evasão discente, por exemplo. Abraço!

  5. Parabéns pela pesquisa! Acredito que a utilização de tecnologias na sala de aula só tem a contribuir para a aprendizagem dos alunos, mas infelizmente sabemos que são poucos professores que usam tais recursos. Contudo, como inserir o celular na sala de aula, se nem todos os alunos possuem smartphone? Seria possível uma aula com o uso do celular em escolas públicas?

    • Obrigado por suas contribuições! Creio que um primeiro ponto que devemos pensar sobre as questões que propõe, seja a importância que atribuímos ao Estado enquanto mediador de conflitos e desigualdade sociais , neste sentido, amplos debates sociais e políticas sociais voltadas ao campo educacional poderiam ajudar a repensar a questão da totalidade de alunos que possuam ou não um celular. Assim, creio que outros dispositivos móveis poderiam ser escolhidos pelo Estado para aplicar políticas públicas neste sentido, caso fosse necessário. De modo que, não apenas creio que seja possível uma aula com o uso de celular – ou outros dispositivos móveis como o tablet por exemplo- , em escolas públicas , como defendo necessário,caso considerarmos o número de celulares por habitante no Brasil que expõe números expressivos ,segundo o IBGE e dados da Anatel de 2016 e 2017, respectivamente. O celular faz parte do dia-a-dia do brasileiro, e a educação precisa repensar suas metodologias de modo a inserir meios tecnológicos em sala de aula. Creio que um debate neste sentido é amplo, polêmico e atrelado de concepções e defesas, mas só tende a contribuir na busca de uma educação pública qualitativa, atualizada, crítica e reflexiva. Abraço!

    • Obrigado por sua reflexão caro Leonardo! Realmente a maior dificuldade centra-se em como realizar tal ideia em um país com grandes desníveis de classes sociais, onde muitos tem grande poder aquisitivo enquanto outros são paupérrimos. Mas creio que devemos pensar a ideia em uma escala gradativa, onde debates sociais com a comunidade civil em geral podem ajudar em um primeiro momento. Além disto, não podemos esquecer da função à qual espera-se do Estado, em promover políticas públicas com vista a diminuir as desigualdades sociais. Fato é que utilizamos o celular – ou outros dispositivos móveis – para diferentes finalidades nos dias atuais, como pagar contas, assistir a um filme, realizar comprar, entre outros, de modo que precisamos pensar em como usá-lo no campo educacional, com vista a contribuir para a formação de cidadãos críticos, reflexivos e atualizados às modernidades existentes no cotidiano ao qual está inserido. Abraço!

    • Concordo com os colegas, deve-se pensar sempre a respeito das maneiras de utilizar em cada realidade. Suponhamos, como a colega citou anteriormente, poderíamos inserir esses usos de forma coletiva, apontando as possibilidades e funcionalidades, despertando o interesse dos alunos para o uso do celular para outras coisas…como pesquisa e extensão à escola.

  6. Excelente a pesquisa! Acho que já passou da hora de debatermos novos dispositivos no auxílio da aprendizagem em sala de aula, principalmente no ensino médio que sofre muito por estar muito deslocado do mundo atual.

  7. Ótimo trabalho! O uso de celular em sala de aula, deve ser uma ferramenta a mais no processo de ensino e aprendizagem, nesse sentido, penso ser necessário discussões sobre a contribuição desses dispositivos na nossa conjuntura social atual, então, como promover a formação dos docentes nesse processo?

    • Obrigado por sua indagação cara Luciane! Creio que a formação docente neste sentido em um primeiro momento poderia abordar este tema por meio de eventos como a formação continuada de professores, entendendo que em uma escala gradativa os debates da sociedade civil com um todo poderiam auxiliar na tomada de decisões por parte do Estado. Abraço!

  8. Parabéns pelo belíssimo artigo!

    Deixo abaixo algumas contribuições para a discussão da temática.

    O celular como suporte tecnológico pode adequar-se à realidade escolar, podendo ser usado de inúmeras formas na contribuição e construção do conhecimento e desenvolvimento do professor e aluno.
    É importante que professores e alunos compreendam as tendências tecnológicas do contexto atual e que se interaja no processo ensino aprendizagem, pois esse aparato tecnológico pode tornar-se as práticas pedagógicas mais dinâmicas, contextualizadas e ricas, tornando o sujeito preparado para conviver com a cultura da colaboração e do compartilhamento em rede.
    Desse modo, práticas de produzir e compartilhar informações podem desenvolver ações positivas, pois aprendizagens e conhecimentos acontecem – formal e informal, de modo a socializar e construir, ampliando e resignificando saberes.
    Afinal, o aparelho celular como recurso da indústria de bens ligados à produção e ao consumo cultural, impacta sobre a cultura e no cotidiano das pessoas e dos espaços sociais.

  9. O celular está nas nossas mãos e de nossos alunos e colegas o tempo todo, então, nada mais justo do que incorporar seu uso nas práticas de ensino e aprendizagem! Adorei a escolha do tema e o artigo de vocês, é realmente importante estudar e pesquisar sobre a incorporação das tecnologias em sala de aula! Parabéns!

  10. O trabalho aborda sobre um tema recente, o uso de tecnologias móveis na educação, em especial o celular. Acredito que haja diversas possibilidades de explorar o uso do celular de maneira educativa, criar grupo de discussão de conteúdo acadêmico no WhatsApp, para trocar ideias, sanar dúvidas, compartilhar conteúdos relacionados a disciplina, são alguns exemplos exemplo. Além disso, existem diversos aplicativos educacionais que se alinham com diversas disciplinas tais como: inglês, matemática, entre outros. No entanto, o uso do celular em sala de aula ainda é pouco explorado por professores, às vezes por falta de conhecimento sobre as diversas possibilidades pedagógico das tecnologias móveis, falta de interesse, dentre outros motivos.

    • Muito interessante a sua colocação, NS17. Pensar nas possibilidades de expansão, como línguas e disciplinas que já são estudadas em classe, vídeo aulas, aulas já ministradas em outras localidades, contatos com outras escolas que passam momentos e existem em contextos diferentes…o celular pode potencializar o conhecimento. Interesse a plicação podem nos levar longe!

      • Prezada Tamyres creio que pensar em meios que contextualizem o uso de dispositivos móveis no processo de ensino aprendizagem nos levam também a repensar o que Pimenta (1996) define de “saberes da docência”, por conseguinte podemos inferir que instituições de ensino superior, mais especificamente de cursos de licenciatura possuem uma importância significativa em abordar questões relacionadas ao uso da tecnologia em sala de aula ,bem como na busca de superar métodos arraigados de ensino, entendendo a necessidade do docente adaptar-se a realidade sociocultural e econômica do discente. Creio que neste sentido, a reflexão poderia partir também das carteiras das licenciaturas.O objetivo central seria justamente o que mencionou, investigar e refletir sobre como o uso do celular potencializaria o conhecimento , sob diferentes contextos sociais. Logo, ensino, pesquisa e extensão poderiam atrelar-se na busca deste tema. Agradeço a contribuição sempre de grande valia! Abraço!

    • Concordo com você NS17, e em relação à pouca exploração do celular em sala de aula, acrescento o fato de não haver incentivo da própria escola e da falta de preparação da escola e do professor para implementar esses recursos. Conheço, por exemplo, cursos EaD que utilizam brilhantemente o WhatsApp como ferramente para fomentar a discussão sobre temas debatidos nos cursos. Por outro lado, também conheço professores do Ensino Médio e Fundamental que tentaram utilizar smartphones em suas aulas e accabaram desistindo da ideia pela dificuldade que tiveram em manter a disciplina da classe durante o uso do aparelho. Além da conversa e agitação da turma, existe o problema da distração e da perda de tempo ao longo das aulas, e todos esses problemas devem ser previstos no plano de aula. Mas acredito que se houvesse a participação da escola em tornar essas atividades mais constantes, logo o uso da ferramenta seria normal entre os aprendizes.
      Abs,
      Priscilla Tulipa

  11. Parabéns aos autores pelo artigo !

    Discutir o tema em questão realmente é de grande pertinência para os dias atuais. O celular sem dúvida é uma excelente ferramenta que contribui para o desenvolvimento e a interação dos alunos. Contudo, em alguns casos, falta aos profissionais da educação maior discussão para a sua utilização de forma realmente eficaz na sala de aula.

    • Obrigado por contribuir no debate prezado Carlos! Creio que diferentes esferas sociais e poderes públicos poderiam contribuir no sentido de preencher esta lacuna à qual mencionas. Espero que possamos ver este debate em processo gradativo de amplificação, para que possamos buscar as respostas requeridas. Abraço!

  12. Parabéns pelo artigo!
    O tema não poderia ser mais relevante e como você demonstrou muito bem, com gráficos muito esclarecedores e que ilustraram bem a questão, o celular tem diversos usos e é mal aproveitado.
    Você teria alguma sugestão de prática pedagógica, por exemplo, com o uso de celulares?

    • Com certeza o tema é muito relevante e pertinente ao nosso contexto educacional. Trazer esclarecimentos sobre as implicações deste uso direcionado à educação é crucial, uma vez que sua banalização ou exclusão tem trazido sérios problemas à relação aluno x professor x instituição, etc.
      Adoraria ver uma sugestão de prática em classe…um projeto nesse sentido seria muito bom.

      Att,
      Tamyres Cecília da Silva

      • Olá prezada Tamyres! Certamente muitas são as possibilidades, mas uma delas que pode ser pensada é o uso da internet como ferramenta de pesquisa durante aula. Pensemos no contexto de uma aula de Geografia, por exemplo, quão bom não seria termos a internet como suporte para ampliar os pontos destacados em classe pelo docente? Entendendo que alguns alunos prefeririam buscar as informações em textos escritos, enquanto outros o fariam através de vídeos ou imagens, infere-se que o processo seria uma instigação ao autodidatismo e à busca de uma autonomia sob um horizonte emancipatório discente. Saliento que muitas são as possibilidades, atreladas a necessidade de cada realidade sociocultural . Agradeço sua contribuição e reflexões compartilhadas ! Abraço!

    • Obrigado por sua contribuição prezada Maristela! Em relação a indagação que realizou-me, as sugestões que tenho partem do que vivenciei em sala de aula enquanto aluno , concomitantemente às informações coletadas durante este estudo. Esclarecido as fontes, é possível afirmar que há uma série de modos de utilizar o celular – ou outros dispositivos móveis semelhantes funcionalmente- em sala de aula: calculadora para resolução de cálculos ou afins, conversor de medidas, cronômetro para práticas esportivas ou contagem de reações químicas, gravador de voz para análises linguísticas sob aspecto fonético, uso da câmera e/ou filmadora para realizar um trabalho curricular, entre outros. Assim, um professor de língua estrangeira ,por exemplo, poderia permitir o uso do aparelho celular para possíveis traduções , ou se estes possuíssem algum programa em específico sobre a língua poderiam até ser utilizados como uma ferramenta de apoio , um dicionário online por exemplo, ajudaria neste sentido. Creio que as experiências e as sugestões divergem muito devido a amplitude do tema, e por tal convido a todos a cooperar nesta discussão. O debate é válido e necessário. Abraço!

  13. Parabéns pelo artigo! Gostei muito de lê-lo.
    O tema não poderia ser mais relevante e como você demonstrou muito bem, com gráficos muito esclarecedores e que ilustraram bem a questão, o celular tem diversos usos e é mal aproveitado.
    Você teria alguma sugestão de prática pedagógica, por exemplo, com o uso de celulares?

    • Eu também gostaria muito de conhecer sugestões e experiências de práticas pedagógicas com o uso de celulares. Alguém teria alguma para nos contar e enriquecer ainda mais nosso debate?
      Compartilhem!
      Abs,

      Priscilla Tulipa

      • Cara Priscilla, creio que um dos aspectos mais importantes de refletir sobre um tema é instigarmos-nos a buscar mais sobre o assunto, de modo que fico extremamente feliz de vê-la neste processo ,concomitantemente contribui para o debate do tema. Agradeço sua rica contribuição! Em relação às sugestões defendo o uso do acesso a internet em sala de aula por meio de dispositivos móveis, enquanto ferramenta de pesquisa livre, ao mesmo tempo que prezo pela necessidade de mediação docente. Outra sugestão que humildemente proponho é o uso de aplicativos para conversão de medidas, tradução de textos, ou até mesmo, por que não trabalhar – na medida do possível -conciliando o conteúdo de uma disciplina à jogos didáticos adquiridos por meio de tais aplicativos? Saliento que muitas são as nuances, porém creio que atividades neste sentido poderiam contribuir para o sistema educacional como um todo. Aproveito para convidar a todos os envolvidos neste debate a propor-nos atividades construtivas e/ou a relatar-nos experiências, o que será de grande valia. Abraço!

  14. Olá, Elivelton!

    Quero te parabenizar por nos compartilhar o teu estudo. Achei bastante pertinente discutir os usos pedagógicos de tecnologia móvel. Para o ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras, por exemplo, o smartphone é um bom recurso, pois temos à disposição várias ferramentas de áudio e vídeo, além de dicionários e tradutores online. Mesmo com as limitações de conexão com internet acho que pode auxiliar na resolução algumas atividades. Alguns ambientes virtuais como Moodle e Edmodo já vem em formato de aplicativo para serem instalados. Essa é uma das tendências para a educação do século XXI.

    • Obrigado por sua contribuição caro Bruno, sem dúvida é de grande valia! Concordo com o que afirmou , a educação do século XXI tende a ser sob os moldes do formato tecnológico, e por tal creio que buscar reflexões no sentido de considerar o telefone celular enquanto ferramenta auxiliar do processo de ensino aprendizagem é importante. Espero que possamos prosseguir neste debate! Abraço!

  15. Pessoal, boa tarde!
    Não sei o que pode estar ocorrendo, mas quando eu logo com meu nome e e-mail…não consigo logar. quando coloquei meu nickname Tamy, loguei como outra pessoa! Não sou Tamyres Roxana da Silva, mas Tamyres Cecília da Silva – Coordenadora desta mesa. Para não perder o gancho e a oportunidade de interação, continuarei minhas colocações nos posts a seguir, mas primeiramente vim justificar este erro, visando apontá-lo, mas também legitimar a minha participação e contribuição nestes momentos.
    (corrigido pelo admin)

  16. Continuemos, queridos colegas.
    Hoje, a discussão a respeito do uso das tecnologias em sala de aula tem sido muito rica. Traz novas possibilidades de trabalho e aprendizado, além de extensão e possibilidade de novas descobertas através do uso dessas mídias. Um trabalho que vem ao encontro do fomento e instrução a respeito desses usos, tem muito a contribuir com a educação como um todo, com o fazer pedagógico e com o desenvolvimento da própria educação em nosso país.

  17. Elivelton, achei interessantíssimo o seu trabalho e parabenizo todos os participantes desta mesa. Infelizmente, por alguns problemas, não pude comentar antes, mas observei o debate muito frutífero e as contribuições ao trabalho ora apresentado.
    AS tecnologias estão aí, às nossas mãos e por mais que imaginemos que já estão “saturadas, cheias em sua capacidade”, devemos refletir e reconhecer que não. A tecnologia tem muitas possibilidades que ainda podem ser exploradas e desta forma, isso pode e deve ser estendido à educação.
    Um trabalho nesse sentido é riquíssimo. Parabéns mais uma vez e continue pesquisando a tecnologia, suas potencialidades e tudo o que ela pode trazer de enriquecimento ao setor educacional.
    Att,
    Tamyres.

    • Obrigado cara Tamyres! Creio que precisamos pensar na educação sob os aspectos tecnológicos , haja vista a presença destes na vida do brasileiro cada vez em maior escala.Agradeço a contribuicao prestada! Abraço!

  18. Olá Elivelton! Parabéns pelo trabalho!
    Essa é uma temática bastante relevante no contexto atual e sabemos que há cada dia mais ferramentas desenvolvidas para esse tipo de suporte visando a auxiliar nas questões de ensino e aprendizagem. A questão é mesmo como aplicar esse tipo de TIC em determinados contexto e incentivar o trabalho com elas. Você trabalhou com duas cidades de interior. Você considerou as questões socio-econômicas dos respondentes e de disponibilidade de sinal de internet nessas localidades? Penso que seria interessante considerar esses dados. O que acha? Talvez para uma versão ampliada da pesquisa…
    Abs,

    Priscilla Tulipa

    • Obrigada pela indagação cara Priscilla! Sim ,creio que em uma análise posterior há muitos elementes a serem acrescentados, embora minha defesa de que o uso dos dispositivos móveis em sala de aula ocorre no sentido de pensar no papel do Estado enquanto mediador de desigualdades sociais, também creio que os diferentes contextos sociais poderiam enriquecer a pesquisa e o debate sobre o uso efetivo do celular em sala de aula.Agradeço a contribuição prestada! Abraço!

  19. Parabéns pelo trabalho. Os celulares fazem parte das nossas vidas e não podem ficar de fora das discussões da Educação. No meu caso, em especial, remeteu à rede sociotécnica. Esses “objetos” têm muito a nos “falar”.

  20. Elivelton, parabéns pela proposta! Essa com certeza é uma abordagem inovadora e que rende um importante debate sobre o uso de dispositivos móveis em sala de aula. Isso é algo que tem sido discutido de forma rasa e sem o aprofundamento necessário nas políticas públicas em educação. A preocupação por parte da área pedagógica com essas ferramentas também não se converteu em questões práticas na área. Por isso, penso que a pesquisa desenvolvida pode ajudar a encontrar caminhos que unam o interesse dos estudantes ao processo de ensino aprendizagem diante de um número cada vez maior de celulares no país. Que a investigação continue e traga novos dados e propostas para escolas e universidades.

  21. Olá,
    O uso de tecnologia móvel em sala é sempre muito discutível, pois aqui no Brasil o corpo docente não vê com bons olhos. Mas assistindo uma palestra de uma professora do Canadá, ela relatou que o uso de tecnologia é feita por lá desde o maternal. Isso muito me intrigou a conhecer esta realidade mais de perto, pois só temos escutado discussões negativas, legislações vagas e pouco se tem feito em prol de didatizar este recurso. Gostaria de expor meu apoio ao uso da tecnologia na sala de aula, já que ela nos permeia em casa, nas festas, no shopping e por que não para o desenvolvimento do saber?

  22. Olá, Elivelton!

    Sua pesquisa é muito interessante. Há um trabalho de campo envolvido, a partir do questionário e os resultados estatísticos advindos deles. Em meio a sociedade contemporânea, na qual os alunos estão conectados boa parte do tempo, é fundamental articular novas práticas docentes que se apropriem dessas novas tecnologias para calibrar o processo de ensino-aprendizagem. Acredito que a multiletramento seja um ponto chave para o seu trabalho. Nesse sentido, deixo duas indicações de leitura que podem te ajudar a pensar nessas questões: “Multiletramentos na escola” e “Escol@ Conect@d@: os multiletramentos e as TICs”, ambos da autora Roxane Rojo.

    Parabéns pelo artigo!

    Um abraço

  23. Olá Elivelton! Acredito que as TIC são um forte aliado na construção e difusão do conhecimento. Penso que a utilização destas ferramentas potencializam as aprendizagens, no entanto, tirando a questão de que é perceptível de que nem todos possuem aparelhos que possam contribuir para a aprendizagem, vejo este artefato dentro do ensino médio como um facilitador da construção de conhecimento, todavia, acredito que a maioria dos adolescentes da atualidade não veja este equipamento como um forte aliado para a aprendizagem. Para que este seja um facilitador, uma mediação que mostrasse as demais funcionalidades destes aparelhos se faz necessária, uma vez que, a maioria dos/as educandos/as só vêem o smartphone como um aparelho voltado simplesmente para o uso em redes sociais.

    • Obrigado por sua contribuição cara Silvana! Creio que uma pesquisa investiga tive de campo amplo ajudaria a tecer algumas considerações com relação ao panorama geral brasileiro no que diz respeito ao uso ou não de aparelhosemana celulares no processo de ensino de alunos do ensino médio e superior.O caminho é árduo, mase creio ser extremamente necessário, haja vista o grande número de usuários de telefones celulares destacados em dados e a tecnologia massificante de nosso contexto atual. Abraço!

  24. Concordo com vocês. Como é rico o assunto e também o debate sobre ele,uma vez que precisamos ter iniciativas novas e positivas para o fazer educativo e também as pessoas,reconhecerem neste,potencial para aprendizagem!

  25. Quero parabenizar o grupo pela iniciaiva em falar de algo tão polêmico e que se tornou um desafio para a profissão docente. Acredito que, temos que discutir mais sobre esse recurso que tem muito a contribuir para a educação.

    • Obrigado por sua contribuição no debate caro colega! Concordo sobre a necessidade de discussão e proponho-me a ampliar a pesquisa em um segundo momento.Creio que o campo educacional só tende a melhorar com reflexões neste sentido. Abraço!

Deixe uma resposta