Discutindo questões histórico-sociais em sala de aula: o caso de um grupo de trabalho diferenciado no centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais

O objetivo do Grupo de Trabalho Diferenciado “História, Cinema e Ficção”, que leciona para alunos do 5º e 6º ano do Centro Pedagógico da UFMG, é provocar reflexões a fim de produzir relações entre o cotidiano e filmes sobre as temáticas  de  preconceito  e  conflitos  sociais.  Além  disso,  propiciar  discussões acerca do estigma de “herói” e relacionar os filmes a eventos históricos, de modo que os alunos possam assimilar que, mesmo produções cinematográficas possuem relações  com  nosso  cotidiano.  Ao  fim  do  GTD,  espera-se  que  os  alunos  sejam capazes   de   dominar   os   conceitos   de representação, verdade, alteridade e temporalidade.
Autores: Gabriel Schunk Pereira
Davi Leonardo Mota
Lucas Macedo Gomes
Juliana Taynara Dantas Leite
Mateus Augusto de Lima e Silva

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

21 thoughts on “Discutindo questões histórico-sociais em sala de aula: o caso de um grupo de trabalho diferenciado no centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais

  1. Muito bom esse trabalho, que propõe com detalhes uma abordagem do ensino de história por meio do uso de filmes. Vocês chegaram a concluir a aplicação desta proposta? Em que fundamentaram sua análise? Como foi a reação dos alunos?

    • Estamos em fase de conclusão das atividades ministradas, mas das que já aplicamos, tivemos boa recepção dos alunos do GTD. A seleção dos filmes ocorreu de acordo com os conceitos que queríamos trabalhar e de acordo com a faixa etária dos alunos do Centro Pedagógico. A escolha dos conceitos foi baseada em nossa experiência no curso de graduação em História e embasados com teóricos das ciências humanas acerca destes (como Reinhart Koselleck, Pierre Bourdieu e Tzvetan Todorov). No que concerne às atividades propostas, avaliamos os alunos em dois eixos: o primeiro foi composto de avaliações processuais/quantitativas, onde aplicamos atividades com perguntas dirigidas e suas respectivas respostas (satisfatórias ou não); o segundo eixo foi atitudinal, onde buscamos identificar a habilidade dos estudantes de perceber a aplicação dos conceitos nos filmes e a capacidade de aplicá-los ao seu cotidiano. Este segundo eixo foi onde as discussões em sala de aula mais se desenvolveram, por conta da participação direta dos estudantes.

  2. Ensinando dentro do cotidiano do leitor ou do telespectador, em uma avaliação para ingresso de curso de ‘mestrado genérico’, o candidato deverá referir ao filme ou à revista?

    • Peço desculpas, mas não entendi o seu ponto.
      Se importaria de refazer a questão?

  3. Caros autores, trabalhar conceitos e valores através da utilização de filmes torna a aula dinâmica e atrativa para os alunos, possibilitando ricas discussões.

  4. O trabalho com filmes em sala de aula é, de fato, extremamente rico. Muito boa a discussão proposta no artigo!

  5. Suscitar a reflexão de crianças e adolescentes sobre a relação herói – vilão é um caminho muito importante como substrato para análises sobre processos históricos e mesmo de situações contemporâneas e de vivência dos estudantes. Assim como a reflexão sobre as mudanças de papeis, possibilitada pelos filmes “Os Simpsons: O Filme” e “Vida de Inseto”. Parabéns.

  6. Tornar o filme que é, normalmente, objeto do entretenimento em algo a ser analisado de um ponto de vista crítico e historicizante é uma proposta muito interessante. Além, as discussões propostas permitem a relação com outras mídias, como quadrinhos, por exemplo. Parabéns.

  7. Acho viável e produtivo o uso de medias visuais em sala de aula. O recurso é capaz de geral uma visão diferenciada no aluno atendido.

    • Concordamos e nosso uso dessas mídias em sala de aula tem sido bastante propositivo. Obrigado pela participação!

  8. Parabéns pelo trabalho ! Trabalhar o cinema em sala de aula tornar mais acessíveis conceitos abstratos, sendo uma bela forma de torna a aula mais interativa e dinâmica, aproximando dos alunos conceitos que quando apresentados fora de um material concreto, como o cinema, pode aparecer distantes e difícil compreensão. O cinema possibilita justamente isso, fazer uma aproximação dos conceitos trabalhados por vocês aos alunos.

    Att.
    Vanessa

  9. Muito interessante a proposta de quebrar determinados estigmas e esteriótipos a partir de produções que dialogam com a faixa etária e o universo dos alunos. Trazer uma nova perspectiva sobre filmes, que muitos desses alunos já conheciam anteriormente, mas sob um olhar historicizante e que promova o diálogo com certeza resultará em uma boa experiência.

    Parabéns!

    • Com certeza, Karina! A experiência foi ótima e nossos objetivos têm sido alcançados. Obrigado.

  10. Ei Gabriel, Davi, Lucas, Juliana e Mateus! Parabéns pelo artigo!

    O cinema pode ser um material motivador para os alunos e professores conferindo sentido ao conteúdo trabalhado e com uma linguagem muitas vezes mais inteligível.

    Se interessar, também estou na programação com o artigo “Entre Haters e Trolls: O discurso do ódio e banalidade do mal – Discursos sobre adolescentes infames no Facebook”.

    http://ueadsl.textolivre.pro.br/blog/?p=8269

    Abraço!

    Leles Gomes