Ensino de História e Cinema: Prática docente no Ensino Básico e os conceitos de Verdade, Memória e Tempo em obras cinematográficas

Nosso GTD está vinculado ao Projeto “História, Cinema e Ficção” realizado no Centro Pedagógico da UFMG com alunos do 2º ciclo. Com ele, pretendemos discutir as temáticas relacionadas à memória, tempo e verdade a partir de quatro produções cinematográficas.
Autores: Karina Fonseca Soares Rezende
Lorenna Fonseca Santos Lança

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui
Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2017.1

28 thoughts on “Ensino de História e Cinema: Prática docente no Ensino Básico e os conceitos de Verdade, Memória e Tempo em obras cinematográficas

  1. Gostei da abordagem consistente do embasamento para a proposta de trabalho aqui apresentada. Vocês já tiveram oportunidade de aplicar essa proposta com uma turma de alunos? O que observaram? Caso negativo, o que esperam observar?

    • Sim, o trabalho relatado já está em andamento – teve início em fevereiro e será finalizado na primeira semana de julho.
      O GTD é uma disciplina do Centro Pedagógico/UFMG que reagrupa os estudantes de anos diferentes, mas dentro do próprio ciclo, e tem duração semestral.

    • Boa noite!
      Estamos no fim das aulas do Grupo de Trabalho Diferenciado o qual nos propusemos a discutir as questões abordadas no artigo. A recepção do cinema como objeto para a compreensão de conceitos históricos foi bem aceita pelos alunos.
      Observamos que, de fato, relacionar conceitos tão abstratos com elementos presentes ou mais familiares ao universo desses alunos, como os filmes selecionados, resultou numa melhor compreensão, principalmente dos conceitos de Verdade e Memória.
      Os próprios alunos traziam exemplos do seu cotidiano no qual podiam aplicar as temáticas trabalhadas. Na aula sobre Memória coletiva a partir da festividade –
      O Halloween – apresentada no filme A Casa Monstro, discutimos com os alunos sobre a variedade de festividades e significados das datas para povos diversos, como o Natal, Hannukah, Dia de Los Muertos e o próprio Halloween. Ao questionarmos sobre o significado do Dia de Los Muertos para os mexicanos, os próprios alunos discutiram que a diferença não é sinônimo de erro mas sim de construções culturais diversas.
      Optamos por trabalhar o conceito de verdade histórica apresentando aos alunos o ofício do historiador fazendo paralelos de seu ofício com o trabalho investigativo do detetive no filme “Deu a Loca na Chapeuzinho”. A partir de um caso policial no qual eles mesmos seriam os investigadores, um dos questionamentos dos alunos foi que no filme havia uma facilidade pois o detetive poderia interrogar os envolvidos. Já no caso analisado, eles não teriam acesso ao depoimento da vítima pois ela foi assassinada. A partir disso, conseguimos apresentar aos alunos um pouco de nosso ofício e da importância das fontes para a reconstrução de uma narrativa acerca do passado.
      Att,
      Karina

  2. As atividades citadas no artigo e propostas educacionais são sensacionais. O uso de Piaget para embasar tornou o artigo ainda mais rico. O uso do cinema para o ensino de história também é algo extremamente rico que alcança os alunos.

    • Muito obrigada, Carolina!
      Agradeço pelos elogios. Entender os processos mentais de formação dos alunos é fundamental para a elaboração de um plano de aula e atividades que se adequem à faixa etária.

      Att,
      Karina

  3. Vou tentar comentar a frase encontrada no primeiro capitulo:
    “O GTD no Centro Pedagógico da UFMG tem como proposta trabalhar conceitos históricos a partir de obras cinematográficas de ficção.”

    Uma ficção em filme onde o personagem fica na frente de um computador figurando ser um hacker ou cracker não tem muita utilidade aquém está leigo, somente poderá tirar proveito das cores;
    Porém a qualidade do receptor ou de vídeo do computador apresenta estar esnobando a tecnologia por quem a desenvolveu; isto forma uma clientela disposta a pagar pra ter estas ferramentas, vindo em oposição a atual informação/disponibilidade do ‘Software Livre”.
    Porém e também, além das cores ganha espaço as formas, os modelos de reconstrução das imagens de épocas com o uso dos recursos de imagens.

    • Olá José,
      Não sei se entendi sua colocação. Mas devo dizer que qualquer documento (em seus diversos formatos) pode apresentar “utilidade” caso seja trabalhado com cuidado e apreço. O que me parece que vem sendo feito pelas autoras.

      • Exatamente, Uilk!
        O cinema pode ser tanto objeto, para trabalharmos conceitos históricos, por exemplo, e fonte, para lidarmos com o contexto de produção da obra, sua circulação e o conteúdo abordado por esta.

        Obrigada pela participação!
        Att,
        Karina

    • Boa noite, Jose!
      Não sei se compreendi sua questão mas nosso intuito é trabalhar a partir de obras de ficção conceitos históricos como Verdade, Memória, e Temporalidade. Em um filme de ficção como o exemplificado por você, por exemplo, poderíamos relativizar o conceito de real ou de verdade para o personagem que está conectado com a internet constantemente. Até que ponto a vida virtual não é, de fato, uma realidade concreta para aquele indivíduo mais do que as relações sociais físicas que o permeia? Tendo em vista essa nova forma de interação social, como os indivíduos lidam com as relações humanas ao longo da história a partir de diversos meios? São questões interessantes que podem ser abordadas a partir de uma cena, por exemplo. Nos propomos a complexificar a visão dos alunos quando estes assistem os filmes que apresentamos nas propostas, relacionando-os com atividades que possam auxiliar n compreensão do que trabalhamos.
      Obrigada pela participação!
      Att,
      Karina

  4. Parabéns pelo trabalho! O cinema é um suporte extremamente rico para trabalhar conceitos históricos e enriquecer as aulas, tornando-as mais dinâmicas e interativas. Sobretudo, esse suporte permite uma maior aproximação aos alunos de conceitos abstratos.

    Att.
    Vanessa.

    • Obrigada, Vanessa!

      Acreditamos ser fundamental a introdução de elementos que tornem mais inteligíveis os conceitos históricos que, como você mencionou, são abstratos e muitas vezes de difícil compreensão para os alunos. O cinema foi uma importante ferramenta em nossa experiência.
      Obrigada pela participação.

      Att,
      Karina

  5. Parabéns pela proposta! Muito interessante essa ideia de mobilizar o cinema para pensar conceitos históricos. Ferramenta didática importante!

    • Boa noite, Davi!
      Muito obrigada pelo elogio e participação! A linguagem cinematográfica é, de fato, um recurso muito interessante para o ensino de história.

      Att,
      Karina

  6. Ei Karina e Lorenna! Parabéns pelo artigo!

    O cinema pode ser um material motivador para os alunos e professores conferindo sentido ao conteúdo trabalhado e com uma linguagem muitas vezes mais inteligível.

    Se interessar, também estou na programação com o artigo “Entre Haters e Trolls: O discurso do ódio e banalidade do mal – Discursos sobre adolescentes infames no Facebook”.

    http://ueadsl.textolivre.pro.br/blog/?p=8269

    Abraço!

    Leles Gomes

    • Boa noite, Leles!

      Exatamente! O cinema pode ser uma interessante ferramenta para trabalharmos conteúdos e conceitos históricos em sala de aula como foi apresentado.

      Att,
      Karina

  7. Olá! O trabalho de vocês ficou incrível! Sempre pensei em fazer algo do tipo com alunos de ensino fundamental e médio. A escolha dos filmes foi ótima, trabalhando com filmes com uma linguagem próxima à dos alunos o interesse deles cresce e aos poucos o que eles percebem como simples entretenimento se transforma em algo mais.

    • Boa noite, Matheus!

      Muito obrigada! De fato, a utilização do cinema para o ensino de história torna determinados conteúdos e conceitos muito abstratos aos alunos mais inteligíveis. Nossa intenção foi promover essa compreensão a partir de obras cinematográficas já presente no imaginário e no cotidiano destes alunos. A participação deles na construção do conhecimento foi muito clara e conseguiram observar os filmes sob uma nova perspectiva.

      Att,
      Karina

  8. O projeto de vocês é interessante, gostei muito da leitura. Li também o comentário sobre a resposta dos alunos. Essa abordagem de utilizar o cinema para compreender a história é muito boa. Tive alguns professores durante a minha formação que também utilizaram essa mesma prática, não só para história, mas também na biologia. Acho que fica bem marcado para os alunos. Parabéns.

    • Obrigada Brisa! Essa iniciativa envolve a possibilidade de refletir a história a partir do cinema, que além de ser uma fonte ligada ao entretenimento, a ficção nos motiva o despertar de novos olhares sobre a própria História. Com isto, além de trabalhar com a memória visual dos alunos, como você destacou, é bastante ativo e acessível a construção do diálogo e a capacidade de discutir esses conceitos históricos em sala! Isto foi visível pela participação deles nas aulas!

  9. Ótimo trabalho!
    Parabéns pela proposta: gostei muito de ler como fizeram a ponte entre cinema, história e sala de aula.
    Valeu!
    [ ]s

  10. Olá!!
    O trabalho de vocês é de grande valia para se trabalhar as questões propostas através do uso da tecnologia que é tão apreciado pelos alunos dessa faixa etária.
    Penso que para obter resultados positivos, somente com o uso desses recursos propostos que permitirá que os alunos compreendam os tempos históricos, correlacionar o passado com o presente de forma crítica e reflexiva.
    Vocês foram inovadoras!! Parabéns!!

    • Boa noite, Wellington!

      Obrigada pelo incentivo. De fato, a utilização da tecnologia nas aulas para auxiliar à compreensão dos alunos tem se apresentado como algo de grande valia.

      Agradecemos pelo interesse e elogios.

      Att,
      Karina

  11. Parabéns pelo excelente trabalho! As reflexões propostas para cada filme são muito importantes para a construção do conceito de memória para os alunos. Outro ponto importante, é a discussão realizada para cada obra e também o fato de também focarem as diferenças culturais e atemporais.

    • Boa noite, Alanna!

      Obrigada! Nos preocupamos realmente em auxiliar os alunos no processo de construção de uma consciência histórica a partir de elementos que dialogassem com sua realidade, especialmente o cinema. Um dos eixos centrais foi trabalhar as diferenças entre os indivíduos, tanto no tempo como no espaço, permitindo, assim, o exercício da alteridade.

      Att,
      Karina

  12. Parabéns pela pesquisa! Admiro a proposta de trabalhar conceitos históricos a partir de filmes, pois sempre defendi que, para o aluno, é muito mais fluido assistir a um filme do que por exemplo ler um romance de Jane Austen (sou da área de Literatura).
    Gostei da seleção de filmes, principalmente a escolha de Deu a Louca na Chapeuzinho para mostrar os diferentes pontos de vista de um mesmo fato. Excelente!