Estudo das práticas de leitura e escrita no Ensino Médio da rede estadual de ensino de Minas Gerais

Este artigo investiga as práticas de leitura que os docentes de Língua Portuguesa da rede pública de MG têm desenvolvido no ensino de interpretação e produção de textos. As mídias digitais serão analisadas como mediadoras das práticas de ensino para leitura e escrita. A metodologia envolve pesquisa bibliográfica, pautada na abordagem sócio-histórica. O intuito é criar possibilidades de maior interação nas aulas de Língua Portuguesa, entre aluno/professor no processo de aprendizagem de leitura e escrita mediadas por tecnologia.
Autores: Juliana de Paiva Vieira Soares

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui
Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2016.2

15 thoughts on “Estudo das práticas de leitura e escrita no Ensino Médio da rede estadual de ensino de Minas Gerais

  1. Cara autora,
    Hoje vivenciamos um mundo imerso em tecnologias e dominar as TICs é essencial para que os professores possam tornar suas aulas mais dinâmicas e atraentes. Realmente penso que seja necessário repensar a educação e sua metodologia através da interdisciplinaridade. Parabéns pelo trabalho!

  2. Há muito que se melhorar nas práticas de leitura e escrita nas escolas de educação básica.
    Em minha época de estudante esta área era bastante deficiente, acredito que não tenha mudado tanto,pois acompanhei a formação de uma sobrinha recentemente em em ensino médio de uma escola Estadual.O estudante chega para fazer o Enem sem saber interpretar o enunciado das questões,pois,não teve uma boa formação e ,na maioria dos casos só lia mensagens rápidas de redes sociais.Os clássicos da literatura foram banidos da maioria das escolas,alguns educadores defendem que é melhor que leiam livros estrangeiros de fantasia ou qualquer outra do que nada, eu particularmente tenho minhas dúvidas.Mas são opiniões.O que vejo é a repetição da ação: alunos de periferia, que estudaram em escolas públicas sob o domínio da violência e sem recursos continuam ou não passando em cursos superiores ou nem tentando porque acham não ter competência,já os estudantes de escolas particulares, mais bem orientados pelos pais obtêm maior sucesso nos exames pré-vestibulares.Com os programas do governo Federal (Proune e Reune), diz-se que esta situação melhorou,mas ainda está longe da ideal.Muitos programas exigem uma renda mínima absurda e não consideram que o pai de família nem sempre ajuda o estudante,os programas não consideram os conflitos familiares e o estudante acaba não conseguindo nenhum tipo de ajuda.

  3. A falta de habilidade de leitura e escrita já se tornou um problema crônico na educação brasileira, agravado pelos novos hábitos e formas de escrita adquiridos em ambientes da internet, em que o usuário cria registros específicos para se comunicar. Daí a importância da sua pesquisa, Juliana. É uma grande contribuição para reverter esse cenário, Gostaria de saber do resultado da pesquisa.

  4. Há uma nova geração de estudantes que pertencem a um universo informativo amplo e diferente daquele que costumávamos ter em nosso tempo. As “barsas” das estantes foram substituídas pelos smartphones e tablets. Todas as informações estão a um clique… Cabe ao professor estar inserido nesse contexto, não apenas como um transmissor de conteúdos, mas também como um orientador nessa busca constante do aluno por informações.

  5. Querida Juliana,
    Que alegria ver que você compartilhou a sua pesquisa em andamento aqui no Texto Livre.
    Leitura e escrita são fundamentais para o letramento de crianças e jovens. E as mídias digitais podem contribuir muito na promoção da proficiência leitora e escrita.
    Abraços
    Suzana Gomes

    • Professora Suzana,
      Foi uma experiência enriquecedora participar deste trabalho!
      Obrigada por mostrar novos caminhos professora. O Ensino de Leitura é algo que me encanta e ao mesmo tempo intriga, pela maneira que é abordado nas aulas de Língua Materna. Ao pesquisar o nível de habilidade dos alunos do ensino médio, tenho refletido recorrentemente em minha prática, nos métodos utilizados. Tenho aprendido muito e melhorado bastante como professora e como pessoa. Obrigada por tudo Suzana,

      Abraços,

      Juliana dePaiva

  6. Parabéns pelo trabalho. A educação básica na rede pública de MG ainda é bastante defasada, e um dos grandes obstáculos são as práticas de leitura e escrita. Analisar a educação e a metodologia e observar como a interdisciplinaridade pode ser um mecanismo são parte do processo para a superação desses obstáculos.

  7. Juliana,
    Você apresenta um tema muito relevante para as pesquisas educacionais no campo da linguagem e da educação, que tem focalizado e discutido as práticas docentes que concernem à leitura, interpretação e produção textual no contexto escolar. Algo que precisa de atenção especial por parte de especialistas e estudiosos da língua, como é o seu caso. Parabéns pelo seu artigo!

    • Olá Andréia,
      Obrigada pela contribuição. É um desafio grande trabalhar com ensino de leitura. A discussão é grande e há vários caminhos a percorrer; Acredito que analisar nossa prática, reconfigurar nossos métodos frequentemente e valorizar o cotidiano do aluno,são pontos relevantes e que corroboram com bom desenvolvimento das aulas.
      Abraços,

      Juliana