A autoavaliação da aprendizagem dos alunos: um novo olhar para a Educação a Distância

O presente artigo pretende analisar a aprendizagem, sob a perspectiva da autoavaliação, realizada por um grupo de alunos em uma disciplina a distância no Facebook. Os dados foram coletados por meio de questionários de autoavaliação. O foco está na análise da atuação do aluno durante o processo de aquisição do conhecimento no ambiente online. Fundamenta-se em Teorias de Perrenoud (1999), Vygotsky (2002) e Moore (2008).
Autores: Geralda Aparecida do Carmo Schyra
Vicente Aguimar Parreiras

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2016.2

18 thoughts on “A autoavaliação da aprendizagem dos alunos: um novo olhar para a Educação a Distância

  1. Geralda e Vicente,

    Confesso que foi a primeira vez que vi o Facebook ser utilizado pelo professor em uma disciplina da pós. Como eu queria ter realizado esse trabalho de observação. Gostaria, se possível e fugindo um pouco da questão da autoavaliação muito bem abordada no artigo, que vocês comentassem um pouquinho mais sobre como foi esse curso, quais foram as estratégias utilizadas pelo professor e se os alunos “curtiram” utilizar o Facebook dessa maneira.

    • Boa noite Thalita,

      Obrigada pelo comentário, foi muito bom poder participar UEaDSL e contar com comentários que enriquecem nosso trabalho.
      O Professor Vicente Aguimar Parreiras criou a disciplina Praticas de Letramento: Identidade e Formação do Professor” do Mestrado de estudos de Linguagens CEFET-MG através de um grupo criado no Facebook como substituto para a plataforma de aprendizagem utilizada pelo CEFET-MG .
      O design instrucional da disciplina teve como inspiração pedagógica as teorias construtivistas e sociointeracionistas, utilizando as estratégias de ensino e aprendizagem num modelo computacional que privilegiasse a ZDP ( zona de desenvolvimento proximal), sendo assim o professor Vicente escolheu desenvolver a disciplina através de um grupo formado no facebook.
      No decorrer do curso observamos que as dificuldades apresentadas pelo Facebook foram sendo sanadas e a página do grupo se tornou eficaz por possibilitar a experimentação de novas abordagens metodológicas e por suas varias opções como por exemplo os grupos de discussão que são similares aos fóruns de outras plataformas de aprendizagem, também pela facilidade de acesso ao perfil dos participantes, o que contribui para um sentimento de pertencimento dos mesmos.
      Espero ter conseguido passar um pouquinho sobre o curso .

  2. Olá,

    Muito bom seu artigo, já indiquei-o para menção honrosa. Trabalhar com redes sociais em educação é um coringa, e com a EAD é mais difícil, por causa dos problemas de evasão. Porém vocês conseguiram fazer um ótimo trabalho. Parabéns. Atendam por favor à pergunta acima.

    • Boa noite, iemerique,

      ficamos felizes por você ter gostado de nosso artigo e pela indicação para menção honrosa . Esperamos ter respondido a contento a pergunta da Thalita e assim a partir desse relato falar um pouquinho mais sobre nosso trabalho.

      Obrigada! .

  3. Muito bom o artigo. Associar o uso da tecnologia com o aprendizado é importante. Hoje muitas pessoas procuram facilidades na hora de estudar, mas ainda existe o problema de que o acesso a informação pode ser restrito.

    • Olá dri on,

      Obrigada pelo seu comentário.
      a observação da disciplina realizada no Facebook, comprovou que as facilidades do facebook podem ampliar o acesso a informação de uma forma mais popular o que facilita a aprendizagem.

  4. Olá Geralda e Vivente,

    Tema muito interessante e muito bem exposto no artigo. Inegável que a i portância da autoavaliação noa ambiente on line. Parabèns pelo artigo.

    • Olá Joe Silva,

      Acreditamos como você na importância da autoavaliação no ambiente online.
      A autoavaliação dos alunos, e em especial de EaD, os ajudará a desenvolver competências necessárias ao gerenciamento para a autodireção no acompanhamento de suas aprendizagens.

      Obrigada!

  5. É inegável a contribuição de pesquisas que envolvem estudo de casos, principalmente nessa, que parte de novas ferramentas tecnológicas para realizar um dos procedimentos mais tradicionais da educação: a avaliação. Me agrada bastante quando o próprio agente que se avalia, mas como garantir que o mesmo está sendo sincero?

    Assim como a Thalita, também tenho curiosidades para com as estratégias. Talvez respondendo a ela as minhas também possam ser sanadas. Mas, sendo mais específico com relação a garantia de sinceridade, imagino que se os alunos tivessem acesso as avaliações de seus colegas bem como pudessem interagir com indagações, as responsabilidades da avaliação seriam compartilhadas com todos. Claro que nesse caso não seria só uma autoavaliação, mas o que acham? Quais foram as adequações que fizeram ou gostariam de fazer para a próxima experiência? Se tratando de EaD, quais são os pontos positivos e negativos de utilizar a plataforma do Facebook?

    • Boa Noite, Diego,

      Esperamos que ao responder a pergunta da Thalita, acima, tenhamos saciado um pouco sua curiosidade.
      A possibilidade de oferta da disciplina em um grupo no facebook teve como um ponto positivo a acessibilidade de uma rede social que possibilitou maior interação e colaboração nos trabalhos, pelos participantes da disciplina.

      • Obrigado Geralda!

        Claro que saciaram, mas sabe como é curiosidade, a cada resposta surgem novas perguntas. Vi em sua resposta para a Karla que teve o problema da dispersão, fico pensando se em comparação ao ensino presencial como esse quadro poderia ser diferente. Mas essa é uma outra história.

  6. Parabéns pelo trabalho que ressalta um tema de relevância crescente nos debates acadêmicos.
    A autoavaliação é de extrema importância não só para a visualização, por parte dos docentes, da autocrítica e de divergências entre pontos de vista entre os “dois lados” da dinâmica ensino-aprendizagem.
    Outro ponto que poderia melhorar o aproveitamento dos dados obtidos na autoavaliação seria a conscientização do indivíduo quanto discente, suas responsabilidades e suas necessidades, o que facilitaria o processo de aprendizagem e a busca por alternativas a problemas pontuais na aprendizagem (tais como dificuldades relacionadas ao conhecimento prévio insuficientes, métodos de estudos impróprios aos perfis pessoais, etc.).

    • Olá sergiolb,
      obrigada pelo seu comentário.
      Acredito como você que a autoavaliação do aluno, em EaD ou presencial, é de grande importância para o processo ensino e aprendizagem uma vez que tem o proposito de obter informações relativas as dificuldades e avanços dos alunos.

    • Olá sergiolb,

      Obrigada pelo comentário. Como você acreditamos que a avaliação autoavaliação tem como objetivo obter informações sobre as dificuldades e avanços dos alunos e os levar a refletir sobre o seu próprio papel no processo ensino e aprendizagem e a autoavaliação dos alunos da disciplina “Pratica de Letramentos” comprovou essa hipótese.

  7. Boa tarde a todos!

    Gostei muito deste artigo e pretendo utilizar suas ideias em minha prática docente. Parabenizo pelo desafio da inovação e capacidade de partilhar conosco esta experiencia. Gostaria apenas que vocês comentassem um pouco mais sobre como foi a percepção do aluno sobre esta metodologia.

    Abraços e parabéns!

    • Boa tarde Karla,

      ficamos felizes em saber que você utilizará nossas ideias em sua prática docente.
      quanto a percepção dos alunos, a maior parte deles acharam gratificante a utilização da rede social (facebook) como plataforma de ensino e aprendizagem pela facilidade de acesso a qualquer momento. Alguns alunos acreditaram que essa possibilidade de acesso a qualquer momento provocou a dispersão de colegas que tinham dificuldade em manter o foco .

  8. Boa tarde Karla,

    ficamos felizes em saber que você utilizará nossas ideias em sua prática docente.
    quanto a percepção dos alunos, a maior parte deles acharam gratificante a utilização da rede social (facebook) como plataforma de ensino e aprendizagem pela facilidade de acesso a qualquer momento. Alguns alunos acreditaram que essa possibilidade de acesso a qualquer momento provocou a dispersão de colegas que tinham dificuldade em manter o foco .

  9. Muito boa a pesquisa de vocês! A partir do momento em que o próprio educando se vê como condutor de sua aprendizagem, já facilita e muito no trabalho do professor para orientá-lo da melhor forma possível. Considerando que a pesquisa avaliou os questionários de forma quantitativa, seria possível mensurar a evolução dos cursistas diante de respostas descritivas e argumentativas, por assim dizer? Fica aí minha dúvida de como seria para analisar uma resposta por assim dizer “aberta” sobre a autorregulação da aprendizagem desse aluno. É um tema infindável e muito engrandecedor para todos nós educadores. Fico grata em poder ler esse estudo. Com certeza ficarei acompanhando outros projetos de pesquisa na área.