Letramento Digital: competências e habilidades para navegação em rede

A discussão a que se propõe este trabalho apresenta como objetivo nortear alguns conceitos que permeiam o letramento digital. Por meio de uma pesquisa bibliográfica, relaciona o desenvolvimento do letramento digital, sua importância, bem como a necessidade de habilidades e de competências que possam assegurar o uso das tecnologias em seus mais diversos aspectos.
Autores: Josiane Brunetti Cani Ferrari

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

19 thoughts on “Letramento Digital: competências e habilidades para navegação em rede

  1. Prezados,
    O letramento digital na atualidade é essencial principalmente para os professores.
    Os novos paradigmas e imperatividade tecnológicas mudam culturas e valores e isso demanda constante atualização, porém por outro lado, não dá para falar de globalização com tantos excluídos, por esse motivo, destaco a educação como marco referencial para o letramento em seus mais diversos aspectos, como vocês apontam.

    • Olá, Sâmia!
      Nossa luta é constante para uma igualdade entre tantos incluídos e não podemos deixar de pensar que a inclusão digital deve ser direito de todos. Afinal, diante dessa globalização, os serviços à população tornam-se cada vez mais digitais. Mesmo que no papel de formiguinhas, pelas condições que nos são oferecidas, é papel do educador contribuir com o letramento digital.
      Um grande abraço!
      Josiane

    • Excelente texto! Ao meu ver, ao se pensar no letramento digital é preciso levar em consideração a inclusão digital e a educação inclusiva.
      Abraço,
      Kátia Ariane

  2. Josiane,

    Parabéns pelo artigo! Não há muito o que discutir sobre a necessidade de ser letrado digitalmente, como já afirmado e reafirmado por diversos teóricos. No entanto, essa questão das habilidades e competências necessárias para ser “classificado” como letrado é algo que, na minha opinião, ainda pode ser debatido. Como medir se um usuário apresenta as competências e habilidades necessárias? Quantas competências e habilidades podemos enumerar para tentar abraçar tudo que é necessário para ser letrado digitalmente? Para ser letrado digitalmente é necessário compreender e saber manusear tudo que está disponível na rede? Responder essas perguntas pode ser tão difícil quanto avaliar o letramento digital de um usuário, principalmente quando lembramos que a internet muda e se atualiza todos os dias e com isso novas formas de utilizá-la ou manuseá-la surgem. Eu, por exemplo, me considero letrada digitalmente em alguns recursos da rede. Enfim, tudo isso é um grande desafio, tanto para os interessados em estudar esses aspetos quanto para os usuários.

    Um abraço,
    Thalita

    • Olá, Thalita!
      Sempre viveremos nessa dúvida sobre um parâmetro para o letramento digital… hoje estava conversando com um grupo de pesquisa e pontuamos que nossos nativos digitais hoje trocarão de papel com as crianças futuras. Isso é fato! E que fato importante e legal, pois as tecnologias não param e sempre precisaremos nos atualizar. Porém, não podemos deixar de pensar que essa evolução precisa ser acompanhada, mesmo que de forma mais simples, para que todos possam ser considerados cidadãos. Quanto aos parâmetros de letramento digital, falo de condições mínimas (admitindo que esses parâmetros sempre deverão ser atualizados) adequadas a diversos meios, em nosso caso, no campo educacional.
      Um grande abraço!
      Josiane

  3. Olá, Josiane!

    Parabéns pelo trabalho. É um tema bastante abrangente e muito interessante. Hoje percebemos como os recursos digitais influenciaram os modo comunicacionais e a maneira como nos fazemos entender pelas múltiplas competências que se envolvem nos nossos contextos sociais e na aprendizagem das crianças. parabéns pelo tema, bem objetivo e claro.

    • Oi, Bruno!
      Isso mesmo… e o que é mais importante é saber que as pessoas começam a perceber o potencial desses recursos como forma significativa de aprendizagem. Hoje estou em Porto Alegre, em um congresso internacional, e tenho vivido momentos importantes a respeito desse tema: as discussões das tecnologias se fazem cada vez mais presentes no meio acadêmico.
      Um grande abraço!
      Josiane

  4. Cara Josiane, gostaria de saber a relação entre letramento digital e leitura online. Seria esta segunda parte do escopo de letramento digital? E quando (pensando no desenvolvimento de habilidades cognitivas de uma criança, por exemplo) poderíamos dizer que se faz uma leitura online?
    Grata.

    • Oi, Denise!
      Falar de letramento é um tema complexo e de letramento digital não é diferente, ainda mais com as mudanças que ocorrem com tanta rapidez nas tecnologias. O letramento digital envolve o contexto sociocultural, político e histórico de cada
      indivíduo e, a partir dessas relações podemos pensar tantos conceitos de letramento. Como assim? Não dá para colocar na mesma cesta as necessidades de todos os indivíduos para serem considerados letrados digitalmente; assim, ser letrado digitalmente para um professor, um bancário ou um operador de voo certamente será diferente.
      Quanto à leitura online, vou responder por meio de um conceito construído por um grupo de estudo: “A leitura online compreende os aspectos referentes à de leitura de modo geral, mas também os aspectos referentes à navegação na internet e à maior complexidade do hipertexto nesse ambiente (em relação ao impresso). Assim a compreensão do hipertexto online requer, via de regra, o uso de quantidades maiores de fontes de conhecimento prévio, estratégias mais complexas de raciocínio e inferências, como também uma maior autorregulação.”.
      Um grande abraço!
      Josiane

    • Oi, Denise!
      Falar de letramento é um tema complexo e de letramento digital não é diferente, ainda mais com as mudanças que ocorrem com tanta rapidez nas tecnologias. O letramento digital envolve o contexto sociocultural, político e histórico de cada
      indivíduo e, a partir dessas relações podemos pensar tantos conceitos de letramento. Como assim? Não dá para colocar na mesma cesta as necessidades de todos os indivíduos para serem considerados letrados digitalmente; assim, ser letrado digitalmente para um professor, um bancário ou um operador de voo certamente será diferente.
      Quanto à leitura online, vou responder por meio de um conceito construído por um grupo de estudo: “A leitura online compreende os aspectos referentes à de leitura de modo geral, mas também os aspectos referentes à navegação na internet e à maior complexidade do hipertexto nesse ambiente (em relação ao impresso). Assim a compreensão do hipertexto online requer, via de regra, o uso de quantidades maiores de fontes de conhecimento prévio, estratégias mais complexas de raciocínio e inferências, como também uma maior autorregulação.”.
      Um grande abraço!
      Josiane

  5. Boa noite, Josiane,

    Achei muito interessante a forma como introduziu o assunto, comentando sobre o
    corretor automático do WhatsApp dos Smartphones. A situação, de fato, rende gargalhadas e serve como ótimo ponto de partida para pensar a questão do letramento digital de uma perspectiva mais ampla.
    Gostei muito do Quadro 1 – em que apresenta as competências e habilidades para o letramento digital.
    Seu texto é muito didático e esclarecedor. Ótimo!

    • Oi, Débora!
      Que bom que gostou do artigo. Estamos vivendo uma época de transição e, para muitos, admitir que estamos na era digital não é fácil. Sabe que fico pensando como seriam as mudanças ocorridas ao longo dos séculos em relação às formas de comunicação? Imagine a mudança que foi na era da criação da imprensa. Pense em como alguns grupos de sentiram sabendo que a informação poderia atingir a todos os grupos e classes sociais?
      Um grande abraço!
      Josiane

    • Oi, Denise!
      Falar de letramento é um tema complexo e de letramento digital não é diferente, ainda mais com as mudanças que ocorrem com tanta rapidez nas tecnologias. O letramento digital envolve o contexto sociocultural, político e histórico de cada
      indivíduo e, a partir dessas relações podemos pensar tantos conceitos de letramento. Como assim? Não dá para colocar na mesma cesta as necessidades de todos os indivíduos para serem considerados letrados digitalmente; assim, ser letrado digitalmente para um professor, um bancário ou um operador de voo certamente será diferente.
      Quanto à leitura online, vou responder por meio de um conceito construído por um grupo de estudo: “A leitura online compreende os aspectos referentes à de leitura de modo geral, mas também os aspectos referentes à navegação na internet e à maior complexidade do hipertexto nesse ambiente (em relação ao impresso). Assim a compreensão do hipertexto online requer, via de regra, o uso de quantidades maiores de fontes de conhecimento prévio, estratégias mais complexas de raciocínio e inferências, como também uma maior autorregulação.”.
      Um grande abraço!
      Josiane

  6. Josiane,
    demorei mas cheguei! Eu tenho muita admiração por seu trabalho e este é um exemplo bem característico da sua postura frente a educação e a tecnologia. Você é daquelas que faz acontecer – uma boa mestra: faz saber fazer. Nesse artigo nos mostra a profundidade de suas preocupações de forma bastante objetiva. Gostaria de aproveitar e deixar aqui um comentário que é muito bom poder deixar público: está sendo um prazer enorme trabalhar com você. Um forte abraço!
    Ana

    • Ana!
      Quando iniciei minha pesquisa, alguém lançou uma pulguinha atrás da minha orelha. Daquelas que ficam beliscando e fazendo lembrá-la de que há algo que precisa ser pensado. Sim, você é minha pulguinha… como falar de letramento digital sem pensar em sua determinação em tornar as coisas simples, fáceis e, o mais importante, acessíveis a todos? Como pensar em letramento digital sem imaginar a gratuidade do conhecimento propiciado pelas novas tecnologias? Às vezes, esbarramos com pessoas que não tem como explicar a admiração e o desejo de ser um pouquinho como elas. Quem sabe um dia!!! Mas, já me basta ter a oportunidade de conviver com você.
      Obrigada por tudo!
      Um grande abraço!
      Josiane

  7. Querida Josiane,
    Seu artigo é muito bacana. Gostei demais! Você trás uma contribuição excelente ao retomar as contribuições de Saboia (2014), de modo adaptado. Ser letrado digital é um processo. É isso aí, na sociedade midiática exercemos a cidadania assumindo essa modalidade de letramento. Penso que os professores que apostam no uso pedagógico das tecnologias com certeza terão nesses descritores uma contribuição. Abraços e muito sucesso.

    Suzana

    • Oi, Suzana!
      Sou professora e estou vivendo um momento especial em minha vida: doutorado na UFMG. Sempre me questionei a respeito da academia e a proximidade com a minha realidade de sala de aula e, confesso, sentia dificuldades em acompanhar todos os conhecimentos produzidos por ela para transformar em práticas. Hoje, vivendo neste outro lado, gostaria de facilitar o máximo que puder para o professor. Ainda mais que em minhas pesquisas tenho percebido o que já sabia: ser letrado digitalmente não é fácil e associar esses saberes com a necessidade de novas práticas pedagógicas mediadas pelas tecnologias requer um esforço de nossa parte.
      Um grande abraço!
      Josiane

  8. Josiane, seu texto é muito importante porque organiza a teoria sobre letramento digital. Parabéns. Sobre os questionamentos apresentados no final, eu acredito que sempre haverá um déficit entre a velocidade de atualização das tecnologias e o grau de letramento. Acho que isso não deve ser um ponto de conflito. O importante é diminuir esse déficit. Se o letramento se constituísse objeto de ensino nas escolas e outros meios formadores, o número de “iletrados digitais” diminuiria significativamente.
    Abraço.

  9. Ótimo artigo, abordado a necessidade de se adaptar a realidade por meio do letramento digital, sendo um cidadão crítico também no ambiente digital.