Ensino a Distância e sua Versatilidade

O software livre ganha cada vez mais força devido às novas propostas de ensino que surgem não apenas no país, como fora dele também. Diversas instituições têm aderido à idéia do ensino a distância, e este sendo realizado através dos softwares livres. A idéia de inclusão social através do ensino a distância por meio dessa ferramenta se mostra muito sedutora aos olhos de autoridades e alunos. A simplicidade do meio de aplicação do recurso é outro fator preponderante para a proposta que está sendo feita uma vez que é necessário apenas o acesso a internet para usufruir dos benefícios da idéia. O que precisa ser muito bem estudado é como programar uma idéia tão inovadora sem que a mesma comprometa a qualidade do ensino oferecido mantendo a simplicidade e o baixo custo do processo.

> João Marcos Bernardes
> Guilherme Reis
> Carlos Eduardo Leitão

Fator de extrema importância para o desenvolvimento da tecnologia dos softwares livre e maior motivo para sua defesa é o baixo custo que o mesmo apresente e o fato de ser livre de pirataria, uma vez que sua cópia e distribuição são totalmente livres. Lembrando que o problema da pirataria é considerado crítico, pois alem de ser crime, serve para financiar o tráfico entre outros, principalmente no que diz respeito ao Brasil.

Desenvolvimento

O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação está diretamente atrelado a uma evolução que se iniciou por meio dos correios, passando aos programas de rádio e TV, vídeos, computadores e chegando até as sofisticadas transmissões e conferências via satélite, entre outros meios de comunicação, e a Educação a Distância tende a se apoiar cada vez mais em tecnologias mais recentes que facilitam o seu acesso dos usuários, e conta com boa aceitação dos mesmos. O ensino a distância juntamente com o presencial e muitas vezes de maneira até independente tem mostrado resultados animadores. A principal ferramenta para a nova tendência é o software livre.

VERSATILIDADE DO ENSINO A DISTÂNCIA

Ensino Individual

Existem muitos cursos já prontos para o ensino individual, eles são baseados em vários materiais multimídias contendo instruções precisas para o aluno. Estes materiais podem ser animações, apresentações em PowerPoint, trechos de vídeos, gravações em áudio, um design para a Internet mais leve, de fácil navegação e com formatos hipertextuais. Para progredir o aluno deve realizar algumas atividades e enviar para um centro de correção, que após revisar o trabalho atribui uma nota e permite que o aluno vá para mais uma outra etapa.

Nos cursos individuais o aluno progride conforme o seu próprio ritmo, não sendo necessário acompanhar algum grupo especifico. Assim facilita tanto para o aluno como para a instituição.

Este tipo de curso exige um aluno maduro, auto-suficiente e auto-motivado. Normalmente dão mais certo com profissionais que já estão atuando no mercado e que querem evoluir na carreira ou que são pressionados para atualização constante.

Ensino para grupos pequenos

Neste tipo de ensino o curso geralmente começa e termina em tempo semelhante. Ele envolve um pequeno grupo de participantes. Seus materiais e atividades, individuais e coletivas, acontecem simultaneamente. Para o sucesso do curso é necessário o envolvimento real dos alunos.

Há cursos com propostas mais abertas. O professor cria alguns materiais, atividades, questões e os alunos se organizam na escolha dos tópicos, dos materiais, das pesquisas, da produção. São cursos mais centrados na colaboração dos alunos do que no professor e pressupõem alunos com muita maturidade, motivação e capacidade de aprender juntos.

Ensino para grupos grandes:

Seu foco principal é atender um número grande de alunos ao mesmo tempo. A ferramenta que permanece imbatível até então neste propósito em atingir a milhares de alunos ao mesmo tempo é a televisão. Tendo como seu principal modelo o tele-curso, com programas produzidos por equipes profissionais, com apoio de material impresso e recepção organizada em salas com um tutor.

Mesmo a televisão dominando aqui no Brasil, a implementação permanentemente de uma política de educação a distância via TV, tendo apenas experiências isoladas, descontínuas, embora importantes. Países como a China e a Índia ainda hoje capacitam milhões de alunos através da TV, enquanto no Brasil só temos ações pontuais.

Um dos cursos atuais que estão tendo sendo bem sucedidos é o Pro Formação, curso de capacitação à distância para professores no nível médio. Utilizando a televisão e material impresso, com tutoriais regionais. Já foram capacitados até agora pelo Pro Formação cerca de trinta mil professores, que já estão em serviço.

Outra opção utilizada também é a teleconferência. Nela um professor transmite sua aula para muitas salas espalhadas pelo país com até cinqüenta alunos por sala e acompanhados por um tutor local que faz a ponte presencial com o professor e tutores que estão on-line. Os alunos podem fazer algumas perguntas pela Internet, fax, telefone, por controle remoto. Essa mistura de aulas ao vivo, atividades on-line e texto impresso é um modelo promissor para alunos que têm dificuldade em trabalhar sozinhos, em ter autonomia intelectual e gerencial da sua aprendizagem.

O Brasil acabou passando a etapa da televisão sem aproveitar de todo seu potencial. O fascínio atualmente gira em torno da Internet, esquecendo que a televisão pode ser um caminho muito interessante, combinado com outras mídias, como a própria Internet.

SEGURANÇA

Uma das questões muito aborda a respeito do software livre é no que diz respeito à segurança da informação, o sigilo da informação manipulada por um software independe do sigilo dos métodos de proteção que são utilizados pelo software emprega para proteger aquele. Métodos criptográficos rudimentares podem ligar um sigilo a outro, mas o estado atual da ciência criptográfica os torna independentes. Todo o sigilo necessário a esta proteção pode ser concentrado em apenas uma das chaves criptográficas.

De acordo com Antonio Marcelo, especialista em segurança em GNU/Linux, afirma ser mais seguro usar software livre, pois é possível modificar o sistema de acordo com as necessidades de cada um. Já quando se usa um software com o código fonte fechado ou proprietário, o usuário não tem informações sobre o programa, que seria uma verdadeira “caixa-preta”. “Imaginemos que um país que rode software proprietário americano entre em guerra contra os EUA. Quem garante que lá dentro não tem um backdoor [falha de segurança que permite o controle da máquina pela internet], ou que o mesmo não pode ser atacado por um tipo de vírus desenvolvido pelo fabricante deste software, tornando-o inoperante?”, questiona Marcelo. De acordo com ele isso poderia ser evitado com a utilização adequada do software livre, uma vez que o código está aberto e as falha são identificáveis. Um dos pontos de vantagem de usar o software livre é o fato de existir milhares de pessoas checando o código em busca de problemas de programação insegura. No entanto, Marcelo garante que existe um ponto ainda mais importante. “Com o código aberto eu posso fazer o que eu quiser inclusive criar uma versão customizada [adaptada] do sistema que um hacker, ou qualquer tipo de invasor, não tenha acesso”, explica Marcelo.

O problema é ainda mais abrangente. Países que possuem relações geopolíticas conflituosas tendem a trocar seus fornecedores de software, preferindo a utilização da tecnologia de softwares livres.

Para Marcelo, não seria mais seguro usar uma tecnologia que estivesse concentrada nas mãos de alguns poucos. “O uso do software aberto é mais seguro, pois a tecnologia não depende de terceiros. Como acontece com alguns bancos, a chave da segurança não fica na mão do fabricante do software e sim do próprio banco”, argumenta. Ele afirma que ainda temos uma barreira para vencer nesses dois casos, os mais polêmicos atualmente. “No caso dos bancos temos alguns como no Rio Grande do Sul, que utilizam Linux na parte administrativa e existem vários bancos de investimentos (que não posso citar por sigilo profissional), que utilizam software livre em sua estrutura de segurança de Internet”, conta Marcelo.

Conclusão

O ensino a distância possui a mesma filosofia do ensino presencial. A diferença está apenas na comodidade e flexibilidade em estudar onde você quiser e na hora em que puder, o aluno organiza seu ritmo de aprendizagem com suas necessidades pessoais. Com o software livre temos a liberdade de estudar um programa, e adaptá-lo às nossas necessidades, podendo melhorá-lo caso acharmos necessário e divulgarmos a sociedade para assim interagir e trocar conhecimentos.

Referências

http://pt.wikipedia.org/wiki/Educa%C3%A7%C3%A3o_a_dist%C3%A2ncia

http://economia.estadao.com.br/noticias/not_42368.htm

http://www.universia.com.br/ead/materia.jsp?materia=12902

http://www.brasilescola.com/educacao/educacao-distancia.htm

21 thoughts on “Ensino a Distância e sua Versatilidade

  1. Uma das grandes vantagens do software livre é o poder de adaptação as nossas necessidades, o que encaixa muito bem com o ensino pois pode-se adequar o software a cada aluno possibilitando uma melhor aprendizagem.

  2. Podemos dizer que o próprio ensino a distancia já é uma versatilidade. Realmente, no mundo moderno o tempo e o deslocamento estão cada vez mais raros. Portanto, o ensino a distancia pelos softwares são de grande importância.
    Gostei muito do tema!

  3. Concordo com o Ricardo. Deve-se investir mais no EAD de forma que sua qualidade e credibilidade cresça sempre mais.

  4. Gostei muito do tema. O ponto chave da educação à distância é a necessidade cada vez maior dos indivíduos de se organizarem de acordo com seus interesses e horários. Um aluno motivado costuma se dar muito bem com esse tipo de ensino. Ainda o software livre possibilita que sejam feitas mudanças para a melhoria do programa, o que é muito interessante.

  5. Concordo com vocês. O EAD é uma ferramenta valiosa nos dias atuais, pois é uma ferramenta flexível que permite adaptação de cada tipo de curso para suas necessidades. Além disso, o EAD reduz o tempo e o deslocamento necessários para realização de um curso.

  6. A versatilidade é um ponto chave do ensino a distância, pois muitas vezes quem procura um curso on-line, não tem acesso ao curso presencial, seja por falta de tempo ou por dificuldade de acesso. O software livre vai ao encontro do ensino a distância pois também se caracteriza pela versatilidade e capacidade de adaptação.

  7. O que eu acho mais importante no ensino a distância é a democratização que ele proporciona, pois permite que milhares de pessoas de várias partes, que vivem em um país continental como o Brasil, tenham acesso à grandes instituições de ensino e uma grande gama de cursos, já que muitos destes cursos e seus professores estão concentrados no sul e sudeste do país. Espero que o ensino a distância em nosso país ainda possa crescer muito.

  8. O ensino a distancia como dito pelos colegas acima é muito versatil, mas sempre tem oque melhorar.Pois a vacilidade desse ensino é uma ótima vantagem para as pessoas nessa época corrida que é a de hoje.

  9. O ensino a distância é uma ótima opção principalmente para aqueles que tem pouco tempo, e nos dias atuais a maior parte das pessoas tem essa característica. Mas acredito que todo o ensino, inclusive a distância sempre pode ter melhorias e quanto mais o tempo passa mais adaptações são necessárias para atender a todos.

  10. O ensino a distancia como dito no artigo também é bem seguro, pois os software livres tem sistemas de segurança de alta tecnologia, mantendo o sigilo e a transparencia com o cliente.Como no caso dos bancos citados no artigo, que possuem a maior tecnologia de segurança para não ocorrer fraudes no sistema.

  11. Também é uma maneira de democratizar o ensino, pois a maioria terá acesso, independente de onde esteja morando.

  12. Preparar salas de aulas com inúmeros computadores custa muito caro. Porém, o que muita gente desconhece e que ao se utilizar softwares livre o custo de implementação de um laboratório de informática pode ser bem amenizado.
    Nos dias atuais falasse muito em ensino a distância. Essa modalidade de ensino está ganhando novos adeptos e se bem aproveitada, pode ter uma qualidade de aprendizagem bem parecida com os cursos presenciais.
    Unir as duas ideias acima poderia ser uma maneira de favorecer a educação de pessoas localizadas nos mais longínquos lugares.

  13. A versatilidade é fundamental ao ensino a distância, e o uso de softwares livre alcança esse objetivo.

  14. Pessoal,

    O tema escolhido por vocês é bastante interessante e atual. O trabalho ficou bem escrito e com ótima progressão temática. Porém, apresenta um problema muito comum nos trabalhos acadêmicos e escolares da atualidade: contem trechos idênticos a de outrso textos da internet. Por exemplo, o trecho “Há cursos com propostas mais abertas. O professor cria alguns materiais, atividades, questões e os alunos se organizam na escolha dos tópicos, dos materiais, das pesquisas, da produção.” apresenta-se idêntico ao texto encontrado na seguinte página da internet:http://www.eca.usp.br/prof/moran/tendencias.htm. Essas partes do trabalho não deveriam ser apropriadas e sim mencionadas através de citação. Nem na bibliografia vocês colocaram esse site. Muito cuidado com esse tipo de prática que só faz desmerecer um bom trabalo como o de vocês.

  15. O Ensino à distância e sua versatilidade:

    Sem dúvida nenhuma, essa é a maior das vantagns do ensino à distância. Com o advento de tecnologias que permitem a criação de um ambiente seguro de comunicaçao on-line, o ensino à distância se expande enormemente como uma ferramenta muito útil de aprendizagem. A não exigência de horários fixos e não precisar de deslocar-se até a unidade de ensino tem atraído muitas pessoas a essa metodologia. Agrega-se a isso, a popularização crescente tanto de computadores, quanto da internet. Deixaria como sugestão a necessidade de expansão de políticas públicas que popularizem ainda mais computadores e internet para as classes menos favorecidas economicamente de nossa sociedade, para que esse novo modelo não seja excludente.

    Parabéns aos autores pelo artigo.

  16. Boa palestra. A abordagem é muito interessante.
    A capacidade de termos um bom ensino também à distância favorece o aprendizado geral.

  17. Gostei muito do tema abordado. O ensino a distância é uma ferramenta muito útil e barata além de ser versátil pela flexibilidade de horários que essa ferramenta dispõe. Parabéns pelo texto e pelo tema.
    Felipe Cobucci Morais

  18. EAD é sim eficiente para muitos casos, porém algumas áreas de conhecimento ainda são muito difíceis de serem ensinadas sem a interação física aluno-professor. Uma dessas áreas é a da matemática. A EAD não é, ainda, dinâmica o suficiente para este tipo de área.

  19. Concordo com a opinião do Caio. Ainda existe uma lacuna muito grande no EAD. Acredito que com a evolução da tecnologia e a massificação do seu uso, o ensino online venha a ganhar novas dimensões. Nós, alunos de OLP, estamos contribuindo ativamente para esse processo, mesmo que de forma indireta. E é importante isso, quanto mais pessoas usando, contribuindo, as vezes reclamando e dando suas opiniões, mais essa ferramenta irá crescer.
    Contudo, eu vejo o ensino a distância como uma ferramenta complementar ao ensino tradicional, não como algo que vá substituir o mesmo.