Liberdade versus opressão: no discurso antirracista

O objetivo deste estudo é investigar, no nível narrativo, os programas de manipulação recorrentes no discurso “Que a liberdade ressoe” de Martin Luther King. Trata-se de um texto veiculado num blog e de apelo antirracista, cuja análise pretende ser estendida aos planos de expressão e de conteúdo. O mesmo será baseado na teoria dos programas narrativos (abreviadamente PN) recorrendo aos conceitos de LARA (2012). Dessa forma, busca-se apresentar quais as fases do PN utilizadas para construir o discurso, bem como as etapas e percursos para edificar a relação entre sujeito e objeto. Além disso, expor quais as reverberações causadas pela retórica do discurso nos hábitos e comportamentos contemporâneos.
Autores: Glenda Kely de Almeida Bastos
Valéria Maciel de Souza
Thamara de Freitas Alves
Márcia Beatriz Fernandes Caetano

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este trabalho recebeu MENÇÃO HONROSA no UEADSL2014.2!

17 thoughts on “Liberdade versus opressão: no discurso antirracista

  1. O presente estudo traz contribuições significativas da semiótica greimasiana assim como a análise discursiva em foco do estudo. É um trabalho que, embora um pouco fora da característica do evento,UEADSL, Está até bem escrito, mas me parece desconexo com a característica principal do evento. O texto traz referências e análises sobre liberdade de expressão e racismo, mas não atrela isso, por exemplo, às manifestações discursivas nas redes sociais.

    • Obrigada pelo comentário. Talvez uma segunda leitura possa mostrar a conexão esperada.

      • Num possível processo de reescrita, certamente, esse viés poderá ser mais explorado.

  2. É um trabalho realmente bem escrito e uma discussão muito relevante. Embora, não tenha relação direta com o tema do evento, nos mostra que a semiótica é mais que uma teoria hermética, ja que se volta também para causas sociais que podem, inclusive, se manifestar no universo on line.

    • Obrigada Professor Elisson Ferreira Morato. Seus esclarecimentos foram determinantes na proposição do tema.

      • Ao professor Morato: obrigada pelas orientações, sem as quais esse trabalho não lograria êxito e, principalmente, pela paciência.

  3. Olá Glenda, Márcia, Thamara e Valéria, antes de mais nada entendi eu, na minha simplicidadde de leitor que o trabalho está muito voltado para a “análise do discurso” o que aparece em demasia e relevância todos os operadores que esse discurso promove, bem como o diálogo entre os textos (dialogismo e intertextualidade) e a polifonia. Não desmerecendo a “Semiótica”, mas acho que o discurso, ou, os discursos foram as estrelas desse trabalho, muito bem escolhidos. Boa análise de ambos! Parabéns!

  4. Uma das nossas preocupações foi proporcionar ao leitor que, como nós, acaba de ter contato com essa teoria, uma leitura de fácil compreensão. A semiótica é uma das muitas teorias ricas da análise do discurso e todos, sem exceção, têm de ter acesso.

  5. Agradeço aos colegas que fizeram seus apontamentos, eles nos serve de reflexão e amadurecimento! O trabalho pauta-se na abordagem da teoria semiótica, bem como de questões que dizem respeito a conceitos perdidos ou não valorizados/entendidos nos dias atuais, como: ética, liberdade de expressão e racismo (ofensa). Então, acredito que todo e qualquer discurso que permeia as redes sociais e o imaginário da sociedade merece seu reconhecimento e relevância. Obrigada.