O percurso (e o discurso) da tecnologia: um enfoque semiótico

Esta palestra discute o percurso de bens tecnológicos, no caso, aparelhos celulares, de sua apropriação enquanto bem de consumo ao descarte e conversão em lixo. Para tanto analisamos dois textos: uma publicidade de aparelho celular e uma foto mostrando o problema do descarte desses aparelhos. Assim, verificamos a construção do discurso através do percurso gerativo de sentido do plano de conteúdo e das relações deste com o plano de expressão. Nosso referencial teórico é baseado no trabalho de Greimas; Courtés (2008), de Floch (1995) sobre semiótica plástica e de Morato (2008, 2011) sobre o plano de expressão em texto visuais.
Autores: Elisson Ferreira Morato

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

5 thoughts on “O percurso (e o discurso) da tecnologia: um enfoque semiótico

  1. Gostei muito da abordagem realizada. Já que não é muito difundido este tipo de reflexão sobre o descarte desenfreado dos celulares.

  2. Muito bom o tema escolhido e bastante reflexivo. Além do contexto semiótico abordado, eu diria que também podemos nos atentar para o fato do consumo exagerado que acomete a sociedade atual. O sujeito numa tentativa de acompanhar o mercado tecnológico,as novas tendências e de sentir a necessidade de demonstrar um certo”status”, nunca estará satisfeito com sua última aquisição. Sempre buscará alternativas de acompanhar o modismo e se manter atualizado, o que de certa forma estará contribuindo para o acúmulo do lixo tecnológico, conforme bem colocado no texto. A questão da individualidade também é muito bem abordada já que se sobressai perante a coletividade, pois o indivíduo, de certa forma, pensa apenas no bem estar próprio.
    Gostei muito!

  3. Olá Elisson! fiquei meio encabulado para dizer que guardo muito lixo tecnológioc pois moro longe da onde recolhem e para não poluir prefiro armazenar em um local que não uso muito, um armário. O que trouxe em seu trabalho foi uma contribuição e idealização para o que devemos fazer, o descarte correto, ou pensar nele. Houve muitas indagações discursivas que podemos refletir em nosso cotidiano. Parabéns!