Liberdade Virtual

Literatura e música são apenas alguns dos bens culturais compartilhados por inúmeros usuários da internet. O compartilhamento livre das mídias em geral, porém, vem sendo tema de inúmeros debates. Assim, este trabalho procura discutir a liberdade da internet, através de alguns aspectos que devem ser cuidadosamente analisados.
Autores: Fernanda Alvarenga de Oliveira
Rita de Cassia Pasquali Soares
Luanna Laroline de Souza Horta Mendonça
Anderson Luís de Ávila Gomes

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

17 thoughts on “Liberdade Virtual

  1. Pertinente a abordagem feita pelo grupo sobre a questão do compartilhamento no ambiente virtual. Entretanto, o grupo poderia ter aprofundado mais na discussão. Bom trabalho.

  2. Bom Trabalho!

    Gostei dos argumentos fornecidos por vocês, forneceram boas referencias sobre o tema e, explanaram bem a questão sobre o que compartilhar. Concordo plenamente com vocês estamos realmente sujeitos à perda do nosso direito de Liberdade de Expressão, principalmente se formos analisar projetos de lei antipirataria como o SOPA, PIPA e o ACTA, recentemente o fundador do Wikileaks, Julian Assange lançou um livro bastante interessante sobre esta temática: Cypherpunks – Liberdade e o Futuro da Internet, recomendo caso queiram aprofundar no assunto.

    Eclésio Giovanni.

    • Obrigada pela recomendação, Eclésio. É sem dúvidas um tema para se aprofundar, afinal de contas, somos todos usuários da internet.

  3. O grupo escolheu um tema muito pertinente para discutir, porém, acredito que o exploraram pouco. Acho interessante a colocação do compartilhamento sempre ter existido, porém só ter passado por mudanças. Como o compartilhamento, as posturas também mudaram. Atualmente, muitos veem a cultura livre como negativa e propõem ações repressoras, assim como bem citadas pelo grupo, o exemplo de Cuba e Coréia do Norte.
    Acredito na cultura livre e também creio que ela pode perfeitamente conviver em harmonia com a indústria tradicional. O que não pode ocorrer é a privação do direito de liberdade de expressão do indivíduo.
    Parabéns ao grupo e só dou um alerta para que revisem melhor os próximos artigos que escreverem e normas para formatação para evitar alguns pequenos erros.
    Camila de Souza Batista.

  4. Achei a temática do artigo muito interessante, afinal a palavra “liberdade”, quando relacionada com “direitos autorais”, gera uma grande discussão; quase sempre polêmica.
    O que me preocupa é o que entendemos por “liberdade”.
    Para mim, certamente, ela se limita ao direito do outro, o que, no caso dos compartilhamentos, tem um limite. Nem tudo o que é produzido é livre e disponível a todos. Por isso, precisamos delimitar bem o início e fim da nossa tal “liberdade”.

    • Você tem razão, Débora. Quando falamos em direitos autorais, vários pontos de vista devem ser levados em conta. Em nosso trabalho tentamos manter uma certa imparcialidade ao destacar o assunto, mas não significa, contudo, que acreditemos que os direitos autorais devam ser desrespeitados.

  5. Pertinente a abordagem feita pelo grupo. Vocês expressam bem essa evolução do compartilhamento das informações e nos fazem refletir sobre a nossa postura ao discutirmos os direitos autorais, despertando um questionamento de até onde esse discurso não serve de máscara para a censura.

    • Exatamente, Daniella. Foi por isso que em nosso trabalho abordamos a liberdade de expressão do usuário, algo que vem sendo negada em diversas localidades continentais. As pessoas, em sua maioria, infelizmente tendem a ver a liberdade virtual apenas do ponto de vista do compartilhamento, mas é importante que a discussão quanto a liberdade do internauta vá muito além disso.

  6. O artigo é pertinente, porém essa liberdade deve ser acompanhada de responsabilidade,com limites, ética e estética, pois a internet é um veículo de comunicação e uma ferramenta para a construção do conhecimento.

    • Concordo com você, sendo simples usuários ou proprietários de bens digitais, temos sempre que agir com responsabilidade e, acima de tudo, respeito ao direito do outro.

  7. Essa história de direitos autorais tem se tornado, cada vez mais, um tema frequente nas rodas de conversa. Entretanto o que pode ser ruim para uns pode ser muito bom para outros. Falando do exemplo de publicações ligadas à música, um autor independente, que vislumbra ter suas músicas reconhecidas, está pouco se lixando para esta questão de direitos autorais. Ele quer somente divulgar o seu trabalho e atingir o maior público possível. Já os consagrados, pertencentes a grandes gravadoras, batem na tecla de que seus hits devem ser vendidos e não simplesmente compartilhados entre os usuários. Fato é que é impossível agradar a todos e acredito que este embate ainda durará por algum tempo.

  8. O compartilhamento de arquivos na internet é um tema muito polêmico. Os projetos de lei norte-americanos SOPA e PIPA mostram seus reflexos no Brasil e conduzem as discussões sobre o assunto. A indústria intelectual tenta restringir o compartilhamento de arquivos, para que os autores possam proteger suas obras e receber méritos financeiros por elas. Acho válida a restrição, porém
    deve-se considerar que a medida pode aumentar o comércio ilegal de arquivos.

    • É… Mas no Brasil já tramita um projeto de lei, que se chama Marco Civil da Internet, que propõe garantir direitos e deveres do usuário da internet , e que possivelmente, amenizará os efeitos de leis SOPA e PIPA por aqui.

  9. Muito pertinente a discussão levantada pelo grupo no texto. Vivemos hoje uma era na qual a Internet é uma ferramenta essencial em manifestações, pois facilita a troca de idéias, divulgação de eventos e permite a divulgação de mídias relacionadas. Nos últimos dias foi a vez do Brasil se manifestar e sem a Internet creio que o movimento teria sido facilmente reprimido pelo Estado, já que a divulgação dependeria dos jornais, programas de TV e rádio, facilmente controladas pelo Estado ou outras pessoas de interesse. A não centralização permitida pela Internet é fundamental para a livre expressão e não deveria ser controlada por um agente central.
    Muito bom o texto, parabéns.

    Luiz Guilherme Brant Machado

  10. Assunto muito relevante, hoje em dia compartilhamos nossas opiniões na internet, nossos gostos, costumes, se forma uma nova sociedade digital. Acredito que toda forma de conhecimento, e de cultura sejam validas, respeitando os direitos das pessoas. Existe uma pressão muito grande por parte das grandes industrias de entretenimento e conteúdos variados, em vez de proibir e caçar quem compartilha, eles deveriam repensar seus mercados e se adequar a nova forma social do mundo.