O compartilhamento de arquivos e sua importância para a cultura livre

A internet é hoje a melhor forma de troca de informações, conhecimento e cultura além de facilitador de divulgação de trabalhos e obras. O compartilhamento de arquivos associado a um modelo de licença livre tem sido de suma importância para o desenvolvimento social e cultural da sociedade.
Autores: Francisco Prates Jr

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

17 thoughts on “O compartilhamento de arquivos e sua importância para a cultura livre

  1. O compartilhamento de arquivos e sua importância para a cultura livre

    A forma como o grupo conduziu o debate é de grande relevância, para uma reflexão aprimorada sobre as questões de compartilhamento e seus desdobramentos diante da atua situação que se encontra a internet.

    • Prezado autor,
      Parabéns!
      Seu trabalho é de extrema importância para os dias atuais, em que a internet faz parte de nossa vida, especialmente na área acadêmica onde podemos utilizá-la para as pesquisas. Com certeza que com o acesso de informações compartilhado a todos a qualidade dos trabalhos só tem a melhorar.

  2. Muito importante esse ponto levantado! É fundamental percebermos que qualquer criação é fruto de uma confluência de inspirações que, por sua vez, são resultados de acessos a diferentes formas de informações. A restrição ao acesso de informação, de qualquer tipo, tem impactos fortíssimos sobre a própria cultura e seu potencial. Além disso, os intermediários que cresceram irrefreadamente antes da internet (e que ali, tinham certo valor, considerando as dificuldades de distribuição da época), em tempos em que o livre acesso é finalmente viável, funcionam como repressores do novo modelo.

  3. Prezado autor,

    O tema abordado no artigo é muito relevante e traz questões contemporâneas que precisam ser analisadas e refletidas. Com a ampliação da rede e do conceito de cultura livre, novas discussões são incorporadas à questão do direito autoral, principalmente em função da facilidade de acesso.

    A escrita do texto está clara e objetiva, facilitando o entendimento para o leitor que ainda não domina o tema. O tratamento das questões da inclusão digital, o compartilhamento de conhecimentos, o jornalismo livre e eventos públicos abertos e colaborativos trazem novos paradigmas para se relacionar com os processos de ensino aprendizagem, autonomia e inclusão social.

    Excelente artigo,

    Fernanda Cristina

  4. Não concordo com o ultimo paragrafo pois acredito que nem toda censura é ruim e até que ponto um Nerd ou seja uma pessoa inteligente, que entende melhor que muitos o poder da internet pode ser inofensível?

  5. As pessoas devem compreender que a cultura da permissão é diferente da cultura livre. Quando as pessoas não compreendem a importância da cultura livre para a democratização das tecnologias, da informação e do conhecimento trazem prejuízos para as pessoas de um modo geral. Os prejuízos decorrem de certas limitações impostas aos internautas por parte de interesses políticos e econômicos de grandes empresas capitalistas. Concordo com o autor quando afirma que a criação e o compartilhamento de arquivos na rede tornam a sociedade mais justa e igualitária. Gostei do artigo Prates Jr.

  6. A escrita do texto está clara e objetiva, facilitando o entendimento para o leitor que ainda não domina o tema. O tratamento da inclusão digital, o compartilhamento de conhecimentos e o jornalismo livre trazem novos conceitos para se relacionar com os processos de autonomia e inclusão social.

  7. A escrita do texto está clara e objetiva, facilitando o entendimento para o leitor que ainda não domina o tema.

  8. Prezado Francisco,

    os pontos levantados no artigo são de extrema importância e muito bem discutidos. Lendo-o me surgiram duas questões que gostaria de levantar aqui: no caso do último grande vazamento de informações confidenciais do Governo Estadunidense, através do WikiLeaks (chamado por você de “jornalismo livre”), o agente da CIA, Edward Snowden, que disponibilizou os documentos, seria um vilão por ser homem de confiança do governo e, sendo-o, ignorar suas obrigações quanto ao sigilo, ou seria ele um herói, que expôs um crime do Estado para o mundo todo?
    Acho importante refletir sobre essas questões, até para entender os prós e contras da Cultura Livre hoje e o que ela pode trazer de bom ao mundo no futuro.

    Saudações,

    Renato.

  9. Boa tarde Francisco,

    Tive um pouco de dificuldade para entender como funciona o Torrent. Não entendi como funciona o compartilhamento de parte de um aquivo. Gostaria de entender melhor.
    Esses sites não vão de encontro à política de privacidade? Por mais que o sistema vigente, onde intermediários de obras ganham mais que os próprios autores, seja errado, mudar isso de forma ilegal não me parece o melhor caminho.
    Concordo com você que o livre acesso ao conhecimento deveria atingir uma maior parte da população. Mas como fazer isso de forma a não invadir o direito de ninguém? Acho a proposta da Casa da Cultura Digital bem interessante.

  10. Foi bem colocado a proposta do livre acesso a internet que e um assunto que esta virando polemica pelo governo americano.

  11. Não concordo com o final do texto. Limitar a veiculação de um livro, por exemplo, em um site de compartilhamento de arquivos não é, de maneira alguma, censurá-lo (até mesmo porque o autor ficaria satisfeito). Isso é apenas dar o devido crédito ao produtor da obra, remunerando-o para tal, o que não acontece através da internet, pelo menos na maioria das vezes. Censurar é não permitir a produção ou a distribuição e, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, isso já não acontece há um bom tempo.

    • Oi, Gabriel. A Declaração Universal dos Direitos Humanos diz que toda pessoa “tem a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”. Porém, as atuais propostas de regulamentação da internet ignoram esse aspecto. Temos que entender a motivação para a criação de tais instrumentos reguladores, não é mesmo? Será que só querem resguardar os autores e seus rendimentos? Acredito que o conhecimento deve estar acima dos interesses econômicos. A cultura livre não ignora essa questão dos créditos, pelo menos no meio acadêmico. Paula Tatiana P. Santos.

  12. Muito bom artigo. Escrita bastante clara e coerente, facilita o entendimento.Além disso a questão é bastante atual e importante já que o compartilhamento de artigos, livros, músicas e afins na internet é algo tão comum em nossa cultura e ao mesmo tempo é algo que possui raízes e questões extremamente complexas as quais muitas vezes não fazemos idéia de quais são.O grupo soube defender e explicar muito bem seu ponto de vista.

  13. O significado de direito autoral ficou muito bem relacionado . O seu verdadeiro significado e o que realmente ele está protegendo.

  14. Parabéns pelo artigo! Essa falsa máscara de ladrões e criminosos que as grandes organizações e o governo cismam em colocar em pessoas que praticam o livre compartilhamento escondem interesses e desigualdades muitas vezes não tão facilmente enxergados. Pessoalmente, acho esse um texto elucidador em vários aspectos e acredito que esse debate deva ser levado cada vez mais para todo o povo, que é privado cultural, social, intelectual e economicamente, e muitas vezes, nem se dá conta.

  15. A interpretação da facilitação de acesso de conteúdo cultural pela rede foi muito bem colocado. O conceito de Cultura Livre foi muito bem vindo ao texto. Titulo interessante e boa argumentação fazem o texto ser muito bem quisto. Ótimo artigo!