Plataformas, Softwares e Cultura livre: a descentralização do discurso

Quando se estuda a história da humanidade observam-se sociedades repletas, em sua maioria, de hábitos autoritários, discriminatórios e elitistas, embora tais fatos tenham sido visto com menos veemência nos últimos anos. Com o surgimento da Internet como meio de comunicação de enorme abrangência, abriu-se espaço para a exposição de pontos de vista e teorias antes sufocados pela força opressora das ideologias provenientes da elite político-financeira.
A era digital trouxe novos meios de produção, geração e compartilhamento de informações, que fogem ao controle e rigidez das elites representadas pelos grandes conglomerados de comunicação, e esse novo cenário vem levantando o debate sobre cultura livre na rede. O objetivo deste artigo é discutir como plataformas e softwares, bem como a luta pela cultura livre atuam como agentes importantes na descentralização dos lugares de autoridade de fala na sociedade através da formação de polifonia e promoção de visibilidade de minorias.

Autores: Éverton Paraguai Antunes Oliveira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2012.2.

6 thoughts on “Plataformas, Softwares e Cultura livre: a descentralização do discurso

  1. Pertinente a discussão feita pelo grupo no artigo sobre o papel da Cultura Livre na descentralização do discurso. O posicionamento do grupo é bastante crítico e reflexivo em relação ao tema abordado, o qual, além de atual, é de grande relevância, dada a necessidade da conscientização, por parte da sociedade, do poder manipulador que pode existir nas diferentes mídias. O trabalho está bem articulado e as ideias nele presentes foram desenvolvidas de forma consistente. Parabéns pelo trabalho!

    • Obrigada!
      Para nosso grupo é de grande importância lembrar que discussões como essa carecem sempre de atenção, precisam ser mantidas em pauta.

  2. Boa a reflexão do grupo. É um assunto instigante, por isso agradável de se ler. Parabéns pelo artigo de vocês!
    Agda Mendonça

    • Obrigada!
      Acreditamos que, o assunto sendo instigante como você mesma disse, são várias as reflexões que podem e devem ser trabalhadas de maneira a ampliar nosso poder de reflexão acerca dele.

  3. Considero pertinente o artigo “Plataformas, Softwares e Cultura livre: a descentralização do discurso, pois ele toca em um assunto que está no cotidiano do fazer jornalístico. É interessante pensarmos que o compartilhamento de informações entre um cidadão comum e o jornalista acontece em tempo real, principalmente por meio das redes sociais, como o twitter e facebook. Entretanto tal compartilhamento e interação ainda não promoveram a descentralização dos lugares de autoridade de fala na sociedade. Assim como o artigo evidencia, somente vai existir a descentralização do discurso e o advento da polifonia, se houver liberdade de informação. Por mais que as ferramentas existam nem todos têm acesso. Nesse sentido, se faz necessário pensar, como sugere o artigo, que por mais que haja um aumento do acesso a informação por meio das ferramentas tecnológicas ela ainda continua restrita pelas diferenças regionais e sociais do nosso país. Logo, seria interessante pensarmos que tal enquadramento poderia ser modificado se o acesso a internet fosse alcançado de forma igualitária, assim as ferramentas disponibilizadas na web realmente poderiam ser usadas para dar visibilidade a tantas vozes que ainda são desconhecidas.

    • Oi Alessandra. Realmente, a descentralização ocorre de maneira muito lenta e depende de políticas que garantam o acesso aos meios de comunicação a todos. Outro problema que enxergamos também se diz respeito ao progressivo domínio na internet por algumas corporações (Google, Facebook, Twiter, etc). O controle da informação por eles ainda parece ser pequeno, mas temos que ficar atentos pois essas empresas certamente estão querendo expandir seus negócios.