Música e internet: uma expressão da Cultura Livre.

Atualmente,com a presença marcante das tecnologias,torna-se necessária a discussão acerca das mudanças que vêm ocorrendo na sociedade.As tecnologias e,principalmente,o uso da internet fazem cada vez mais parte do cotidiano,contemplando dimensões como trabalho,estudo e lazer.A difusão da Cultura Livre,nesse contexto,é a pretensão deste texto.Sendo tal temática muito complexa,torna-se relevante um recorte para aprofundamento:refletir sobre as novas tecnologias de compartilhamento,em especial,a modalidade referente à música.Nesse viés, cabe verificar como vem ocorrendo a disseminação das produções musicais no Ciberespaço,no que diz respeito ao acesso,difusão e compartilhamento.A intenção é detectar e problematizar como a música se propaga no espaço da Cultura Livre/Ciberespaço e como a mesma vem modificando as relações entre produtores e consumidores.A Cultura Livre, no que se refere ao compartilhamento das produções musicais,ainda é incipiente,porém,tem um futuro promissor.
Autores: Auta Rodrigues Moreira
Lilian Braga Carmo
Irene Guerra Salles
Luana Roberta Salazar

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2012.2.

39 thoughts on “Música e internet: uma expressão da Cultura Livre.

  1. Pertinente a forma como o grupo trata da propagação e do compartilhamento das produções musicais na Internet, bem como das modificações que vêm ocorrendo nas relações entre os produtores e consumidores da música no ambiente virtual. O trabalho está bem articulado e consistente. Ótimo trabalho!

    • Olá! Agradeço em nome do grupo pelos elogios! Este tema vem sendo amplamente discutido no contexto atual e, por isso, nos chamou atenção. As relações entre os produtores e consumidores está mudando rapidamente e o ciberespaço está assumindo uma maior importância na difusão e no comprtilhamento das produções musicais. Por isso defendemos a Cultura Livre para que, cada vez mais, toda a sociedade tenha acesso às produções culturais!

    • Em nome do Grupo, agradecemos os elogios frente ao trabalho e tema desenvolvido. Acreditamos que as produções musicais foram um dos melhores recursos para trazer alguns pontos negativos e muitos pontos positivos frente ao compartilhamento pelo ciberespaço.

    • Meu voto vai para o artigo : Música e Internet: uma expressão da Cultura Livre. Gostei mto do tema abordado e como o grupo defendeu a proposta do ciberespaço. Excelente trabalho.

  2. Os novos meios de compartilhamento de audio tendem a ser benéficos tanto para os autores quanto para os ouvintes. Além de continuar vendendo CDs, os autores ainda ganham com o número de acessos a suas publicações, além de lucrarem com a venda de downloads.
    Pelo lado do consumidor, as músicas de várias partes do mundo tornam-se muito mais acessíveis e a aquisição é muito mais fácil.
    A divulgação também é facilitada! Hipocrisia seria cantores como Psy, Michel Teló e Gusttavo Lima reclamarem que obtiveram prejuízo devido à pirataria!São exemplos de que a cultura livre traz muito mais benefícios que malefícios, desde que os direitos autorais sejam respeitados.

    • Olá Gustavo, agradeço em nome das autoras o seu comentário! Como você citou, o sucesso desses cantores pelo mundo é um exemplo positivo do que a cultura livre é capaz de propiciar. A divulgação das músicas pela internet quebra a fronteira de espaço e tempo, possibilitando que uma obra seja conhecida mundialmente, pela facilidade que a internet e o compartilhamento oferecem a seus usuários.

    • Olá, Gustavo! Obrigada pelo comentário! Você ressaltou um ponto essencial (os direitos autorais). Acreditamos que os direitos autorais devem ser respeitados e que isso só será possível após a conscientização dos próprios usuários, não é mesmo?

  3. Curioso ver que a distribuição de músicas pelo ambiente virtual acabou criando uma espécie de artistas descartáveis, não pela qualidade da música que fazem, mas pela distribuição em massa de músicas, álbuns e bandas novas. Tal fato, torna muito complexa a sustentação dos artistas, além da imposição de uma reconfiguração do trabalho das grandes gravadoras. Muito interessante a proposta do artigo. Excelente!

    • Olá, Clayton! Concordo com você que o compartilhamento de músicas gera muitas contradições, mas acreditamos que as gravadoras e os artistas devem utilizar a internet para divulgação e pensa-la como uma alternativa que pode beneficiar a todos.

    • Clayton é realmente curioso pensar tanto no lado positivo quanto negativo que o ambiente virtual oferece. Mas o Grupo acredita que essa rapidez e fluidez que o ciberespaço oferece deve ser utilizado pelos cantores e gravadoras como uma especie de propaganda positiva frente a divulgação rápida. Obrigado pelo “Excelente”, o grupo agradece também seu ponto de vista muito relevante nesse debate.

  4. Muito interessante a discussão trazida pelo artigo. Tema de grande repercussão na atualidade e que, como é mencionado pelos autores, está apenas começando a ser pensado e debatido. No entanto, a grande questão com que me deparo e que será provavelmente de difícil resolução, é saber até que ponto o poder das grandes indústrias fonográficas poderá dificultar a difusão da música por meio do ciberespaço e até onde o ciberespaço poderá prejudicar o mercado da música. Provavelmente, o tempo nos dará, senão respostas, alguns pontos a se pensar.

    • Agradecemos o comentário Camila! Realmente a questão levantada é de difícil resolução, mas apesar disso acreditamos que iniciar o debate já seja um bom caminho para tal objetivo. O grupo musical Teatro Mágico, por exemplo, disponibiliza em site oficial suas músicas, os usuários não pagam nada para baixar, mas o artista recebe uma verba dos patrocinadores por cada arquivo baixado, sendo que estes últimos ganham na publicidade. Desse modo todos os envolvidos são beneficiados de algum modo.

    • Então Camila agradeço em nome do Grupo seu comentário e elogio sobre o tema ter sido interessante. Realmente o ciberespaço é um tema de muita repercussão na atualidade, e atualmente temos sim essa necessidade de falar aspectos positivos e negativos, sendo através das produções musicais que o grupo conseguiu expor esse tema. Sua pergunta Camila é bem interessante, vou te responder do meu ponto de vista frente ao artigo. De fato ainda temos industrias fonográficas que tendem a dar prioridade a venda de CDs ou DVDs, ainda não adaptaram a ideia que a internet é um dos melhores meios de divulgação, mas acredito que isso será um passo de adaptação das gravadoras no decorrer do tempo, em relação a prejudicar o mercado da música, acredito que o ciberespaço não prejudica, mas sim beneficia o mercado da musica, pois ele promove a mais rápida e ampla divulgação, hoje em dia as pessoas são mais adeptas a fazer download , porem esse ato não os impede de comprar CDs. Acredito que o ciberespaço te permite acesso a obra dos cantores, te proporciona a oportunidade de conhecer, e após você tomar conhecimento desse trabalho muitas pessoas vão em busca de comprar as obras. Logo entendo a disseminação da música no fluxo da rede do ciberespaço como algo bem positivo. No mais agradeço muito seu comentário!

  5. Artigo muito interessante. A cultura livre vem como um espaço importante para o compartilhamento de músicas, onde ganha quem canta e quem escuta. As gravadoras e os artistas começam a entender que a liberdade na internet vem também como uma propulsora da música levando muitos artistas ao sucesso, principalmente se considerarmos a velocidade do compartilhamento musical.

    • Olá Natalina, obrigada por comentar nosso trabalho! Como você colocou, a velocidade do compartilhamento pela internet é, de fato, uma propulsora da música. Antes do advento da internet muitos artistas tinham seus trabalhos restritos a ambito nacional ou mesmo regional. Com a facilidade de se compartilhar arquivos musicais, esses mesmos artistas deparam-se com a divulgação – quase que instantânea – para todo lugar do mundo que tenha acesso a rede. Além disso, como já citado nos comentários acima, a difusão da música pelo ciberespaço já levou (e leva) alguns artistas do anonimato à fama em pequeno espaço de tempo.

    • Esse lado do ciberespaço e da disseminação musical é bem positivo mesmo Natalina, agradeço sua contribuição frente a esse meio de compartilhamento como algo positivo. Atualmente muitos artistas se tornam ate autônomos e independentes devido algumas gravadoras não entenderem bem o lado positivo que internet oferece. E realmente o mundo virtual oferece uma ampla e veloz divulgação de musicas.

  6. Então Camila agradeço em nome do Grupo seu comentário e elogio sobre o tema ter sido interessante. Realmente o ciberespaço é um tema de muita repercussão na atualidade, e atualmente temos sim essa necessidade de falar aspectos positivos e negativos, sendo através das produções musicais que o grupo conseguiu expor esse tema. Sua pergunta Camila é bem interessante, vou te responder do meu ponto de vista frente ao artigo. De fato ainda temos industrias fonográficas que tendem a dar prioridade a venda de CDs ou DVDs, ainda não adaptaram a ideia que a internet é um dos melhores meios de divulgação, mas acredito que isso será um passo de adaptação das gravadoras no decorrer do tempo, em relação a prejudicar o mercado da música, acredito que o ciberespaço não prejudica, mas sim beneficia o mercado da musica, pois ele promove a mais rápida e ampla divulgação, hoje em dia as pessoas são mais adeptas a fazer download , porem esse ato não os impede de comprar CDs. Acredito que o ciberespaço te permite acesso a obra dos cantores, te proporciona a oportunidade de conhecer, e após você tomar conhecimento desse trabalho muitas pessoas vão em busca de comprar as obras. Logo entendo a disseminação da música no fluxo da rede do ciberespaço como algo bem positivo. No mais agradeço muito seu comentário!

  7. Achei o artigo extremamente interessante. A questão do acesso aos mais diversificados estilos musicais através do compartilhamento proporcionado pela internet faz com

  8. Achei o artigo extremamente interessante. A questão do acesso aos mais diversificados estilos musicais através do compartilhamento proporcionado pela internet faz com que a cultura musical alcance os mais variados públicos.
    Sem dúvida, o ambiente virtual possui tanto seu lado positivo quanto o negativo. No entanto, acredito que no tange a questão da cultura livre, o lado positivo se sobressai muito sobre o lado negativo.

    • Stella em nome do grupo agradeço o elogio direcionado ao nosso trabalho. E ressalto como é importante nos entendemos esse lado positivo da cultura livre , como o ciberespaço possibilita e facilita o acesso a todos e principalmente que o único lado negativo da ambiente virtual é a pirataria, onde algumas pessoas aproveitam e lucram em cima da obras de outros artistas sem ter nenhum tipo de direito autoral. Mas como você mesmo reafirmou o lado possitivo se sobresai muito ao lado negativo. Agradeço pela sua contribuição!

  9. Parabéns ao grupo, o artigo ficou muito pertinente a temática. Concordo com vocês sobre a vantagem que disponibilizar a música no mundo virtual promove o reconhecimento do trabalho do artista. Acredito que a indústria musical que percebe o compartilhamento promovido pela cultura livre de forma benéfica a divulgação do trabalho, tem vantagens sobre as demais. Sou muito a favor do compartilhamento virtual, assim como o grupo preservando os direitos autorais.

    • Oi Gyselle obrigado pela contribuição do seu comentário, o Grupo realmente tem essa opinião frente ao compartilhamento e a cultura livre. E sobre os direitos autorais, sim é importante preserva-lo como você mesmo falou. No mais agradeço a sua contribuição.

  10. Artigo: Música e Internet: uma expressão da Cultura Livre

    Gostei da abordagem e como elas trouxeram o mercado da musica no ciberespaço

    • Olá, Guilherme! Em nome do grupo agradeço por comentar o nosso trabalho. O grupo procurou trazer essa discussão, pois o compartilhamento digital de música tem afetado positivamente e negativamente as gravadoras e os artistas. Com isso, o grupo acredita que o compartilhamento por meio da cultura livre pode ser o diferencial trazendo benefícios aos produtores e consumidores e sem falar que esta pode ser uma alternativa também para as gravadoras de ter a divulgação de sua marca.

  11. Estamos participando de uma nova era na música, onde os conglomerados que controlam o mercado musical, já não possuem o mesmo poder de anos atrás. Isso se deve em grande parte, as mudanças comportamentais ocorridas nos últimos 10 anos e principalmente ao avanço tecnológico na área de comunicação e transferência de dados. Hoje temos sucessos instantâneos ganhando o mundo, sem precisarem de toda a estrutura que as gravadoras oferecem (ou melhor, impõe). No ciberespaço, todos tem uma porta aberta, é só ter coragem e atravessar.
    Excelente a abordagem do tema pelo grupo, parabéns!

    • Olá Diego, muito obrigada pelo comentário! A questão da instantaneidade é mesmo muito interessante. Já ouvi comentário de artistas que lançam músicas na internet antes da gravação para verificar a popularidade da canção, só depois integram a música em seu repertório e discos. A um tempo atrás isso não seria, se quer, imaginado.

  12. Gostei bastante da abordagem das autoras no texto elas trouxeram questionamento sobre o espaço virtual e suas propagação,já que hoje a facilidade que o ciberespaço nos oferece dificilmente vamos a “loja de disco” (que é um termo bem ultra passado) para comprar Cds ou DVds ou simplesmente ouvir música,isso não é mais comum hj tudo pode ser visto,revisto em uma tela e como consequencia existe uma multiplicação de tentedencia de gosto muita das vezes questionavel ,mas como o texto mesmo fala a musica é cultura livre e quem sou eu para questiona-la.bjs e parabéns meninas o texto ficou muito bom….

  13. Olá Elaine, em nome do grupo agradeço seu comentário. Conforme apresentamos no artigo existe sim muitos consumidores que deixam de comprar os CDs, mas também artistas que são beneficiados pelo o compartilhamento de suas músicas tendo um aumento significativo nas vendas de CDs.

  14. Achei bastante interessante o artigo, pois vemos muitos cantores iniciarem sua carreira através do ciberespaço. A musica atravessa as fronteira e encanta as pessoas do mundo inteiro disseminando a cultura e fazendo essa miscigenação de nações.

    • Ei Guilherme, boa indagação a sua realmente hoje em dia vemos muitos cantores/bandas que iniciam as carreiras através do ciberespaço, exatamente porque a internet é um meio de fazer propagandas grandes e rápidas. Obrigado pela contribuição.

  15. Parabéns pelo artigo! Considero o tema da discussão muito interessante e muito pertinente nos dias de hoje. Concordo no que diz respeito aos benefícios trazidos pelo compartilhamento livre de músicas na internet e acredito que as principais fontes de renda do artista são apresentações na mídia e shows, e não a venda de CD’s. Entretanto, assim como vocês ressaltaram, penso que medidas devem ser tomadas para que tanto produtores quanto consumidores sejam beneficiados através da produção cultural.

    • Ei Ingra agradeço a colaboração e tambem os elogios frente ao nosso artigo. Com certeza os artistas lucram mais com shows do que com a venda de cds, e o ambiente virtual é um meio deles se popularizarem mais, como por exemplo o youtube, o qual é um recurso para disponibilizar videos. No mais agradeço a contribuição.

  16. Olá, gostei muito do artigo, que possui uma temática semelhante ao que escrevi. No entanto gostaria de perguntar se ainda há uma maneira de lucrar através da internet ao divulgar músicas ou qualquer informações? Quero dizer, se vocês pensaram se há uma forma de poder aliar a cultura livre a bons negócios?

    • Olá Thiago agradeço em nome do grupo sua contribuição, acredito que o ambiente virtual já é essa maneira de lucrar com a divulgação, tem inumeros premios no ambiente virtual, acredito que tenha um especifico sobre videos mais acessados. Eu penso que há sim uma forma de aliar a cultura livre a bons negocios principalmente pela internet ser um meio de comercializar e desenvolver propagandas imensas em um espaço de tempo muito curto.

  17. Em nome das autoras agradeço imensamente a todos (as) que leram, comentaram e votaram nesse artigo. Agradeço ainda à Comissão Científica do UEADSL2012.2 pela análise cuidadosa dos trabalhos, a toda equipe do evento, a Comissão Organizadora, a equipe de professores e monitores da FALE/UFMG, que nos acompanharam nas diversas etapas desse trabalho e que viabilizaram nossa participação no evento. A todos que nos apoiaram e orientaram: Muito obrigada!

  18. Eu não acredito que haja “um questionamento ao trabalho intermediário das gravadoras”, porque elas ainda são responsáveis pela gravação e distribuição (legal) do trabalho musical, embora não tenha tanto poder aquisitivo e não trabalhe tanto na divulgação do artista de certa forma ainda tem grande peso, pois o fato de uma banda ter um CDs gravados tem grande peso na aceitação pública.

    Gostei muito do trabalho de vocês, parabéns.

  19. Belíssimo artigo. Inovações tecnológicas ditam o ritmo do consumo e dos formatos das músicas. A internet possibilita ao consumidor um conforto sem igual para o teste e seleções de músicas, além de permitir a difusão de cultura pela música. Parabéns!

  20. O artigo discute as mudanças na sociedade,perante o compartilhamento de músicas , onde gravadoras e artistas usam a internet como meio de compartilhamento do seu material de trabalho .