Democracia digital

Desde o início da civilização, a humanidade vem lutando contra toda e qualquer tipo de censura à liberdade. Como exemplos, podemos citar a Revolução Francesa que lutou pela igualdade, fraternidade e liberdade. A guerra de independência americana que mobilizou a população em prol da independência econômica. No fim, todos querem ser livres e independentes na medida do possível. Na sociedade atual, não poderia ser diferente. Censuras digitais tentam limitar nosso direito de ir e vir na internet e os usuários se sentem injustiçados. Será que passaremos por uma revolução digital? Qual o nível de envolvimento dos internautas uma vez que muitos dos discursos são feitos na frente da tela do computador? Esses e outros assuntos serão abordados no texto do evento.
Autores: Fábio Carvalho Pereira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

15 thoughts on “Democracia digital

  1. Prezado autor, você está de parabéns com o seu artigo!
    Gostei da forma como abordou os fatos históricos da luta pela liberdade.
    Com isso, verificamos que lutar por este direito não é algo que ficou apenas no passado.
    Apenas os focos que mudaram, embora todos eles estejam relacionados com a mesma questão: a de sermos livres para conhecer o mundo ( seja virtualmente ou não) , sem a opressão governamental.

  2. Fábio achei excelente o seu artigo. Você está de parabéns! Falar de liberdade hoje não é diferente de antes. O que muda é o motivo pelo o qual se luta por ela. A internet chegou e com ela trouxe diversas ferramentas impactantes para a sociedade. Assim como a “burguesia” financiou a luta contra o “absolutismo” na revolução francesa, hoje os sites de compartilhamentos financiam a luta contra as grandes empresas de mídias. Mas a minha pergunta é: Até onde existe liberdade? uma vez a palavra “liberdade” seja uma verdadeira utopia! Hoje somos escravos da burguesia que um dia lutou contra a soberania absolutista. Poderíamos, na condição de usuários, até vencer essa guerra, entretanto democracia digital é um termo distante da nossa recém realidade, uma vez que a consolidação da mesma depende: do despertar da sociedade (governo, autoridades, mercado, população) para esta nova fase que vivenciamos; consenso; leis que não apenas favoreçam as grandes empresas de mídia.
    Laura

  3. Primeiramente, parabéns ao autor pelo artigo. O tema da democracia digital implica no surgimento de questões como a participação social e o envolvimento de lideranças fundamentais no processo de conscientização e desenvolvimento da sociedade. Assim, é importante a reflexão e a discussão do assunto no que diz respeito não apenas aos movimentos sociais pontuais, mas, também, no tocante à relaçao do Estado com a população e no que esta espera das políticas públicas. Logo, o que o autor tem a dizer sobre o uso dos meios digitais como forma de participação social em demandas como as políticas de saúde, segurança e educação?
    Henrique

  4. Gostei bastante do artigo! Achei bastante interessante a forma abrangente como você realizou a introdução do assunto. E mais do que isso, o artigo manteve certa neutralidade, contrapondo vantagens e desvantagens de cada lado do ‘problema’. Tal neutralidade se faz muito importante no momento da conclusão, em que as diversas versões são colocadas numa balança e, aí sim, observamos com clareza a necessidade do estabelecimento de uma democracia social em meios digitais, de forma que todos possam ter acesso à informação da mesma forma. Parabéns ao autor, muito bem escrito!
    Gustavo

  5. Olá Fábio, parabéns pelo artigo! Achei interessante abordagem sobre democracia nas redes digitais, os movimentos sociais que se desencadearam através dela e ganharam força e apoio popular. Tema atual e pertinente, mas confesso que, ao terminar a leitura, senti falta de algo mais. Gostaria que você tivesse estendido um pouco mais a discussão sobre o assunto, dando outros exemplos e dados, principalmente sobre os movimentos digitais que não obtiveram sucesso e adesão.
    Abraços,
    Isadora.

  6. Imperioso ressaltar a importância dos efeitos da internet no nosso cotidiano, como instrumento globalizante. Porém não podemos esquecer que com ela, advêm também malefícios. E uma delas é o crime contra a propriedade intelectual. Tal crime hoje em dia, é meio que “esquecido” pela sociedade. Os projetos de lei suscitado no artigo tem por objetivo o combate a esse crime, contudo, de uma forma bem radical.
    Para se conquistar uma democracia digital, temos que observar não só a “informatização da sociedade”, mas se os direitos das pessoas estão sendo respeitados. E isto inclui o direito de autoria.

  7. Prezados, gostaria de parabenizá-los pelo brilhante artigo, uma abordagem singular, que denota para nos leitores que lutar pela liberdade desde os primórdios aos dias atuais, em diversas conjunturas, será sempre pauta da mais relevantes discussões em âmbito global. Ao passo que, aceitar decisões que censuram e limitam a liberdade é retroceder frente ao século da informação, da tecnologia e do desenvolvimento da comunicação, cada vez mais primordial, é retroceder frente a isso tudo, é deixar de lado tudo que foi feito em prol da liberdade até hoje, e aceitar com conivência ações, de certa forma, ditatoriais.
    O artigo de vocês além de todos os elogios que aqui eu possa elencar, é de uma importância fundamental nos dias atuais, serve de base e pano de fundo à toda essa discussão, genuíno ao tema exposto por vocês, e com neutralidade ao tratar o tema, sabendo avaliar os dois lados do tema.
    Abraço !
    Lucas Alves Silva

  8. Gostei muito do artigo e da forma como foi abordado e discutido o assunto! Como os outros já disseram, o autor está realmente de parabéns! Realmente os tempos mudaram, mas a luta por liberdade sempre continuará.

  9. O artigo apresenta um breve histórico da luta pela liberdade, e fazendo uma presente contextualização, através de comparação entre as épocas e a mesma vontade de liberdade que move os seres e a humanidade assim busca algo para prover seu desenvolvimento e mante-lo presente. O tema foi bem argumentado, e a parte sobre os envolvidos no processo de luta pela liberdade e democracia no uso chamou bastante a atenção. Foi coeso e objetivo.

  10. Acredito que esses projetos de proteção da propriedade intelectual na internet tenham em até certo ponto algum grau de fundamento, mas em uma visão geral, prejudica mais que ajuda, uma vez que muitos artistas só adquiriram sua popularidade através da internet com o compartilhamento do seu trabalho.

  11. Parabéns, ótimo trabalho. O resumo está muito, chama o leitor a interessar pela leitura do artigo.

  12. Caro autor,
    Não posso deixar de parabenizá-lo pelo ótimo artigo que você fez, o assunto foi muito bem escolhido. Achei incrível a iniciativa de apresentar as censuras que temos nos dias de hoje assim como a desenvoltura do tema que havíamos visto na matéria.
    Parabéns.

  13. Olá Fábio, sua abordagem foi interessante mas, assim como a colega Isadora, achei que faltou um desenvolvimento mais elaborado pois o resumo está tão envolvente que torna quase essencial que o conteúdo do artigo também siga essa linha.

    Parabéns pelo trabalho!

  14. Caro autor, acredito que seria bom para os leitores se você citar ou detalhar mais ricamente de onde você tirou as informações, pois fiquei um pouco confuso a respeito de como os internautas conseguiram influenciar sobre os salários dos vereadores em belo horizonte. O salário seria aumentado em 60 % ou 60 % dos internautas opinaram a respeito do aumento de salário?
    Gostaria de deixar uma dica nem todo mundo conhece Mark Zuckerberg seria interessante citar que ele é o criador do Facebook. Continue trabalhando para aperfeiçoar o seu artigo, parabéns pela questão levantada e a forma como foi abordada..

  15. Embora o texto esteja bem pertinente e bem escrito, não há uma formatação de artigo acadêmico. Não há citações, referências, títulos. Reveja o modelo de gênero texto a ser produzido.