Liberdade e Oxigênio

Para os que viram a Internet surgir, que participaram no contexto acadêmico do surgimento de um serviço de busca como o Gopher, para os que navegaram com o browser Links, a rede global é sinônimo de Liberdade. Naquele contexto iniciador a Liberdade pode ser vista como o oxigênio que permitiu a aparição dos seres multicelulares neste planeta. Ultimamente essa Liberdade (oxigênio) tem promovido a aparição de lindas e maravilhosas criaturas, mas também algumas (poucas) muito medonhas…
Autores: Thomas Soares

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

22 thoughts on “Liberdade e Oxigênio

  1. Thomas,
    eu fiquei emocionada lendo teu texto.
    Essa internet da qual você fala no início do texto era uma liberdade para poucos, pois poucos tinha acesso. Lembro-me que, quando fazia graduação na década de 80 na UNICAMP, somente alguns amigos malucos da física tinham acesso a conversas sincrônicas pela rede, em chats como esse da nossa secretaria que usa um velho protocolo, só com texto, o IRC. Naquele tempo eu nem ouvia falar em e-mail. E estudava numa das mais importantes universidades brasileiras, imagine fora de lá…
    É incrível como essa questão do número de usuários costuma incomodar demais os detentores de poder: agora que tanta gente pode usar (minha faxineira tem internet em casa, coisa boa!), vem as SOPAS, PIPAS, ACTAS e outras leis para cercear a liberdade que no princípio nem desconfiavam que pudesse existir.
    Já pensou minha faxineira fazendo um movimento online por seus direitos? O filho dela abrindo um blog para discussões da comunidade local, divulgando, por exemplo, atrocidades que sofrem com gangues e com a polícia? Bom, não precisa imaginar: isso já existe e está aí, na rede. Com certeza é a emergência de uma sociedade muito mais difícil de controlar.
    Ano passado fizemos (o Texto Livre) uma apresentação no FISL e uma de nossas palavras de ordem era: Liberdade se exerce! Liberdade se conquista!. Como todo e qualquer direito, não cai do céu. A gente pensa que leis são problemas dos governantes, aqueles que as fazem, mas jamais podemos esquecer que as leis são feitas para proteger interesses. E devemos sempre nos perguntar: interesse de quem?
    Obrigada!
    bjs
    Ana

    • Excelente texto. Objetivo e nos propõe uma reflexão muito interessante sobre os desdobramentos e limitações acerca do uso desta ferramenta indispensável nos dias de hoje, que é a internet. Acredito que a mente humana não possui limites, e muitas vezes, a única forma que alguns encontram de controlá-la e garantir a manutenção do poder é limitando a ação do indivíduo, por que a imaginação ainda não se faz possível, a não ser através de alienação por mídias populares. A internet abriu ao indivíduo o acesso a informação de maneira ampla no espaço e no tempo, e isso de alguma forma ameaça aquelas pessoas que querem manter o poder.

  2. Ótimo Texto,
    Difícil imaginar que essa ferramenta tão importante nos dias atuais, para o trabalho e para o entretenimento, existe a pouco mais de 20 anos e só se tornou tão comum e usual recentemente. Mais difícil ainda é imaginar como a internet se renova, e cria constantemente novos desdobramentos. Prezar pela autonomia de expressão que essa ferramente nos dá é muito importante. O assunto é polêmico, mas o bom senso, de conceituar liberdade de expressão, deveria ser uma convenção em todas as mentes.
    Parabéns pelo texto,
    Matheus F. F. da Silva!

  3. Agradeço os gentis comentários acima. Sobre a situação atual da grande rede existem sinais de ataque à nossa e-liberdade. Por experiência própria já percebi dificuldades em enviar emails dependendo de por onde me conecto na Internet. Isso é definido por “não neutralidade”. Interesses comerciais entraram na rede via os .com e desde o Napster esses interesses sonham controlar tudo o que puderem para maximizar lucros… Muito além das noções catastrofistas relativas a 2012 parece haver este ano uma maior tendência de algo como um ‘ despertar’ dos povos para questões fundamentais e certamente a Internet está no centro dessas discussões !

  4. Parabéns pelo artigo,
    O assunto abordado é polêmico, uma ferramenta que é tão importante na atualidade e muitas pessoas tem utilizado como um meio de informação, entretenimento e conhecimento, está sendo impedido pela lei SOPA e PIPA.

    Dayane Letícia R. dos Reis

  5. Sempre vai haver a tentativa de restringir,de controlar a nossa Liberdade,temos que nos informar e não premitir isso.Ótimo artigo.

  6. Muito bom texto!

    Fiquei um pouco confuso quanto ao modelo de liberdade defendido ao longo do texto. Acredito que a liberdade que se faz mais necessária e seja foco das discussões envolvendo SOPA, PIPA e outros seja a liberdade do acesso à informação. A criatividade das pessoas é inimaginável, rompe barreiras infinitas. Porém, a maior dificuldade nisso tudo é permitir que todos possam usufruir da riqueza e da capacidade de comunicação aberta que a internet nos traz. Para ilustrar minha idéia, trago a tona uma analogia realizada pelo próprio autor: por quê mudar para outro teclado que não o ‘QWERTY’ se milhões de pessoas ainda nem tiveram o acesso a essa maneira? Na minha opinião, essa deve ser a grande batalha dos hacker artistas. Mais uma vez, ótimo texto, parabéns!
    Gustavo

    • SOPA, PIPA e outros monstros como o AI5 digital proposto pelo dep. Azeredo não atacam apenas os acessos, todos, mas também ao próprio conteúdo que possa ou não ser publicado nos meios virtuais. Cria-se assim padrões fixos para fazer juízo de valor sobre a informação em si… O que evidentemente é uma censura estrangulante para o oxigênio da e-liberdade.
      A idéia de usar o padrão QWERTY foi para ilustrar o caráter de “sampling” ou recombinação dos processo culturais. Cultura se cria em boa parte com reciclagem da cultura anterior. O veneno das patentes estanca ou dificulta muito a criatividade e a evolução intelectual da humanidade.

  7. Texto bem criativo, com uma abordagem interessante. Apontou alguns fatos curiosos; achei especialmente interessante a referência ao padrão de tecldo QWERTY, que a maioria das pessoas nem mesmo se dá conta que é um padrão importado e substituído por padrões mais adequados à língua nativa em muitos países.

    A internet vem se tornando uma ferramente imprescindível, sendo fundamental discussões concernentes a ela sejam discutidas amplamente, de maneira clara e aberta.

  8. Parabéns autor!
    Gostei bastante do seu texto, que na minha opinião ficou até bastante poético. Nos faz refletir sobre a questão da liberdade na internet de uma forma que nos sentimos mais próximos de fato da realidade, participando dela. Porém, fiquei confusa em algumas partes… O que você quis dizer ao citar a pirataria como “aberração”?E quando diz sobre liberdade, que “sua principal fundamentação é a de que seja plena e irrestrita”, você realmente concorda nessa liberdade absoluta na web? Como você se posiciona em relação aos crimes cibernéticos ? E não sei se foi má interpretação minha, mas você acha que a internet deve ser um “mundo sem lei” ?(ou leis devem haver, porém mais brandas?) O que você pensa sobre o Marco Civil? Porque quando você trata no 3º parágrafo (neutralidade da rede) é uma das propostas do Marco.. (o Deputado Federal Alessando Molon fala disso em uma entrevista, aproximadamente a partir dos 2’16” do video, disponível em http://www.youtube.com/watch?v=F1vvfMK8bOE ).
    Abraços!
    Iasmine

    • Pirataria é “aberração” quando alguém usa a Liberdade da Internet para obter informações para em seguida comercializar essa informações, como por exemplo imagem, som, vídeo, etc… Baixar para si mesmo ou para compartilhar com amigos, etc… não é aberração.
      Liberdade absoluta sim, mas com ética. Se as pessoas agissem segundo as Leis Naturais não é necessário leis artificiais. Exemplo de Lei Natural: “Não faça aos outros o que não gostarias que fizessem a ti.”.
      Assisti a entrevista com o Molon e o que transparece é que ele nunca foi um usuário pleno dos meios digitais e isso lhe dificulta o entendimento completo dos assuntos tratados no Marco Civil. Volto a dizer, seguindo as Leis Naturais não necessitamos de Marcos desse ou daquele tipo…

  9. Fantástica a forma como é comparado o oxigênio e a internet, e como é tratada de forma tão prática uma questão que tem repercutido demais na mídia, que é as leis contra a pirataria online. O surgimento de novas formas de expressão realmente são concebidas na internet, e privar a população de tal é como privar os primeiros seres do oxigênio. Parabéns.

  10. Muito legal seu trabalho, achei que teve uma abordagem mais diferente dos outros, parabéns.

  11. Ótimo trabalho! Adorei como você argumentou no artigo citando sempre a liberdade.

  12. Thomas,
    Achei muito inteligente a iniciativa de falar de um tema como este, embora seu trabalho tenha ficado pequeno, ao ler, ficou bem claro as informações e o desenvolvimento do tema.
    Parabéns.

  13. Excelente texto! A maneira como você comparou a liberdade presente no surgimento da internet com aspectos biológicos que permitiram o surgimento da vida, além de ser inusitada, permitiu uma reflexão diferenciada acerca dos aspectos de liberalização do conteúdo na rede. É quase como se a censura na internet fosse como uma doença maligna presente em um organismo vivo. Muito interessante!

  14. Caro autor,
    parabéns pelo trabalho,o texto ficou muito rico e retrata de forma objetiva os problemas de cunho
    virtual e as possíveis formas de resolve-los.O uso de metáforas e de analogias faz com que o texto se torne muito interessante sem destoar do tema .
    A internet vem se tornando uma ferramenta crucial para a sociedade contemporânea e a tentativa de controlar o que os usuários acessam e compartilham, é uma atitude anti-democrática pois fere o direito à liberdade de expressão.

  15. Thomas, muito legal o seu artigo! Concordo com você que a liberdade abre portas para a criatividade, desde que aproveitada de forma ética. Baixar uma música para próprio entretenimento não pode ser um ato criminoso. Somos privados da liberdade na internet por leis PIPA/SOPA para respeitar os direitos autorais, o que considero um desrespeito com o cidadão. Sua abordagem é muito pertinente! Parabéns!

  16. Uma metáfora muito interessante essa do Oxigênio. O título já chamou minha atenção pela originalidade.
    Um assunto importante discutido por um ângulo totalmente novo.
    Gostei. Parabéns.

  17. A internet foi estruturada, desde o início, para ser descentralizada e resistente a falhas. Os governos nunca serão capazes de desligar ou controlar a internet, ela veio para ficar. Acho que seria interessante discutir um pouco sobre a estrutura da internet, a fim de mostrar que aliada à criptografia, é impossível censurá-la ou controlá-la definitivamente.

    • Lamento mas tenho que discordar levemente com isso Wladston…
      Existem formas de agir sobre certas funcionalidade da Internet que, sim, tem o potencial de coibir nossa liberdade. Por exemplo o serviço de DNS (Domain Name Service) que é o que traduz um nome como http://www.startpage.com para o seu respectivo IP 216.218.239.62. Isso está ainda muito centralizado nos EUA e eles estão resistindo aos pedidos de descentralização feitos pelos demais países… Com o domínio sobre esse serviço é possível exercer controle e censura de modo muito forte, globalmente.