O novo mercado: os gigantes engessados e os pequenos flexíveis

No novo mercado, as grandes empresas não assumem novos papéis devido a estratégias protecionistas e engessadas. Cada vez mais essa forma de ação perde espaço perante o consumidor que opta em investir na criatividade e naqueles que valorizam o cliente. Tim Schaffer e sua produtora que arrecadou mais de 3 milhões no site kickstarter para o projeto de um jogo é um dos exemplo. Radiohead e o pague quanto quiser para comprar o CD deles outro. A mudança perante o mercado é a solução das grandes empresas, que não estão dispostas a abrir mão para a competitividade de pequenas idéias que podem ter grandes investimentos, criando um ambiente muito mais saudável para o consumidor e para as pequenas empresas.

Palavras-chave: kickstarter, flexibilidade, mercado.
Autores: Renata Rocha Mendes Ferreira, André Machado Coelho, Daniela Gil Greco, Rafael Guimarães Tavares da Silva, Thais Emanuele da Silveira Almeida.

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2012.1.

8 thoughts on “O novo mercado: os gigantes engessados e os pequenos flexíveis

  1. Muito interessante o trabalho! Hoje em dia o mercado é muito diferente do que já foi. Portanto, não se pode negar essas mudanças, considerando-se as novas práticas. A competividade hoje é muito maior!!

    • Sim. É necessário que os grandes aprendam a ser flexíveis para poder melhor se adaptar ao novo mercado.

  2. A maior ameaça as soberania das grandes empresas são elas mesmas. O fato de ser grande traz consigo a falta de mobilidade e esse engessamento é que faz com elas não consiga acompanhar a evolução e sentir ameaçadas por pequenos emprededores. A proteção de direitos autorais é válida, principalmente porque o custo de desenvolver e manter talentos é muito elevado. Contudo, nada justifica a atitude deplorável de censurar por não conseguir acompanhar. Sou a favor de sites como YouTube e Kickstarter, pois dão oportunidade para diversos trabalhos serem desenvolvidos. Vale lembrar que as gigantes ao invés de se preocuparem com censura, deviam se espelharem no vizinho, Google e Facebook, que revolucionam sem censura.

  3. O google e o facebook são duas empresas que encaram o novo mercado com uma personalidade diferente. Mas mesmo eles vão enfrentar dificuldades por não saber os novos caminhos que desvendar. Os investimentos em inovação devem ser altos para conseguir manter-se vivas no mercado. O óculos que o google pretende lançar é uma boa inovação. Mas onde veremos o facebook? Eu fico curioso com as inovações e os novos caminhos da net, ao mesmo tempo que me preocupo com os dinossauros da tecnologia e seus movimentos contra a inovação.

  4. Autores,
    Muito bom o artigo de vocês! Bem fundamentado e bem redigido. Parabéns!
    Agda Mendonça
    UEADSL 2012.1

  5. Prezados autores, parabéns pelo artigo! Creio que seja imprescindível a adaptação das grandes empresas ao mercado atual, diante da alta competitividade e ideias inovadoras, que aproximam muito mais o cliente da instituição e de seus serviços oferecidos. O consumidor não vê com bons olhos a tentativa da aprovação dos projetos SOPA e PIPA. A proteção dos direitos autorais é uma ação válida, até certo ponto, porém se não forem criadas estratégias ou alternativas para a venda desse produto, tal mercado acabará derrotado. É interessante observar as mudanças constantes do mundo e da sociedade, onde há algumas décadas atrás, as empresas do entretenimento eram soberanas e agora, enfrentam um sério risco de extinção no futuro, não muito distante.
    Abraços, Isadora.

    • Muito obrigado! As grandes empresas demorarão para perceber que só com uma identidade flexível estarão atendendo as necessidades do novo mercado.