Software livre em plataformas móveis: um futuro incerto?

Os dispositivos móveis estão cada vez mais frequentes em nosso dia-a-dia. Contudo, é preocupante que alguns desses dispositivos usam sistemas que estão sob o rígido controle de poderosas empresas. Será o uso de software livre a solução disso? Até que ponto uma plataforma open source pode prosperar?
Autores: Alexandre Guelman Davis: agdavis em dcc.ufmg.br
Gustavo Monteiro Brunoro: brunoro em dcc.ufmg.br
Dilson Guimarães (Turma OL): dilsonag em dcc.ufmg.br
Filipe Arcanjo (Turma OL1): filipe em dcc.ufmg.br

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2011.2.

7 thoughts on “Software livre em plataformas móveis: um futuro incerto?

  1. Caros congressistas,

    Parabéns pelo trabalho! Proposta inovadora com contribuições inquestionáveis.

    Carlos Castro / UEADSL 2011.2

  2. Obrigado.

    Sem dúvida as plataformas móveis irão desempenhar um grande papel na Computação durante os próximos anos. Isso nos motiva a entender e pesquisar sobre esse assunto para que possamos participar desse processo.

  3. Parabéns pelo trabalho!

    Antes de lê-lo quando eu pensava em software livre para dispositivos móveis me vinha à cabeça somente o Android, e na verdade ele nem é tão livre assim, conforme explicado por vocês…

    Nunca havia ouvido falar desse tal de Meego, o que demonstra que sem uma boa propaganda ou empresas grandes interessadas, a ideia poder ser ótima, mas infelizmente não vingará neste mundo de concorrências.

    Mas acredito que este seja um mercado emergente e que logo logo teremos mais “opções” de softwares livres para dispositivos móveis por aí, se as empresas gigantes deixarem, claro.

  4. Sem dúvidas o trabalho de vocês acrescentou muito ao evento. Não houve uma discussão tão específica em relação a dispositivos móveis como a que foi apresentada. Realmente uma discussão diferenciada.
    Um abraço.

  5. Muito legal o artigo.

    Eu queria saber quais as vantagens em restringir o uso de softwares ‘nao aprovados’ no caso do iOS. Imaginava que além da taxa para anuncio na apple store, tema protecao da marca e do usuario. Softwares mal escritos poderiam prejudicar o desempenho do dispositivo como um todo, e o usuário poderia nao identificar isso e achar que ‘o telefone estragou’ ou algo assim, prejudicando a imagem da empresa. Outra coisa que queria saber é se a Apple responde(em alguma medida) judicialmente pelos softwares que aprova(caso algum gere algum tipo de dano, seja la qual for).

  6. Muito informativo o artigo. Realmente incomoda muito esse modelo fechado do iOS. Falo isso por experiência própria, já que sou desenvolvedor de aplicativos para iOS. Uma vez que pagamos pelo produto (e pagamos caro no caso de produtos Apple), deveríamos ter o direito de usá-lo livremente para o que quisermos. É muito chato ter que ficar sincronizando o aparelho toda hora, só poder usar um computador por aparelho e só ter acesso aos arquivos via iTunes. Infelizmente, é o aparelho que mais fez sucesso e sonho de consumo de quase todo mundo. Como já foi falado, uma ideia não é nada sem o apoio de uma grande empresa.

  7. Achei o tema abordado nesse artigo bem atual. Os smartphones estão cada vez mais inseridos na sociedade, sendo, dessa forma, importante a discussão dessa relação entre softwares livres, posição de grandes empresas do ramo e interesses dos usuários de smartphones. Parabéns pelo artigo.