O PAPEL DO ENSINO À DISTÂNCIA NA ENGENHARIA BRASILEIRA

Este artigo objetiva descrever a atual situação do ensino a distância no Brasil e apresenta sugestões de como ele pode melhorar o futuro da engenharia no suporte ao desenvolvimento do país.
Autores: Alysson Gonçalves Oliveira: alysson.ago em gmail.com
Rodrigo dos Santos Guzella: rodrigoguzella em gmail.com
Antonio Luiz Alvarenga Junior: antonioalvj em hotmail.com

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2011.2.

7 thoughts on “O PAPEL DO ENSINO À DISTÂNCIA NA ENGENHARIA BRASILEIRA

  1. Prezados autores,
    o artigo ficou excelente, muito bem organizado e escrito. Achei muito interessante a apresentação do panorama nacional da educação à distância e das condições que essa precisa alcançar para dar conta de atender a demanda do curso de engenharia. Parabéns ao grupo!!
    Emanoela Lima – Comissão Científica – UEADSL 2011.2

  2. Um ótimo artigo, um retrato falado de como o déficit educacional se manifesta limitando o desenvolvimento do país. Estou impressionado com a proporção de engenheiros na população, mostrada por um infográfico do artigo. É cabível que países menos populosos como Coréia do Sul, Portugal e Eslováquia apresentem uma proporção mais elevada, porém, até mesmo a China que possui uma população 5 vezes maior que a brasileira, se encontra muito à frente.
    Uma das razões apresentadas para o déficit que me chamou a atenção é o fato de que o pavor que alguns alunos criam da matemática ainda no ensino fundamental e médio, influencia mais a frente em sua escolha profissional. Concluí meu ensino médio no último ano e pude perceber que isto é verdade.

  3. O artigo apresentou de forma clara e convincente a necessidade de se buscar um meio de se viabilizar o Ensino à Distância na engenharia. A necessidade de profissionais desta área no país é constantemente ressaltada pelos jornais e pelas empresas que afirmam que, para o país continuar crescendo, devemos formar mais engenheiros. Outro problema apontado pelas empresas é referente à formação dos atuais profissionais, que se graduam com uma experiência prática muito pequena, visto que nosso ensino possui um foco na teoria e nossas universidades às vezes não possuem a infraestrutura necessária. O Ensino à Distância teria como ponto crítico para sua aplicação na engenharia essa parte prática tão necessária à nossa formação. Como os autores imaginam que seja possível esse trabalho prático aliado ao Ensino à Distância?

  4. O grupo fez uma abordagem completa a respeito da situação dos cursos de engenharia. Acredito que os softwares teriam papel significativo no que diz respeito à parte prática do curso.

    Um abraço.

  5. Prezados,

    obrigado pelos elogios. Escolhemos o tema exatamente por entender a importância da engenharia no desenvolvimento do país, e aliar esse fato ao escopo da disciplina.

    Leonardo,

    sobre a carga horária de disciplinas práticas, citadas no texto e em seu comentário, imaginamos que uma alternativa viável é tornar o curso “parcialmente à distância”, de forma que as matérias fossem cursadas nos laboratórios das universidades e faculdades. Isso passaria por um planejamento de toda a estrutura da escola, para comportar estes alunos adicionais. Tornar o curso à distância de engenharia neste modelo pode afastar alunos que não podem participar de aulas presenciais, porém, seria uma forma de manter os alunos que realmente querem ter um diploma de Engenheiro, e ainda, melhoraria a qualidade do curso, visto que haveria uma carga de aulas práticas maior.

  6. Primeiramente gostaria de parabenizar o grupo pelo artigo. Achei muito relevante a discussão, uma vez que este é um assunto polêmico e vocês conseguiram sugerir a implementação do curso à distância descrevendo todos os benefícios e dificuldades que este possui. Acredito que o ensino à distância é uma ferramenta que auxilia na inclusão, porém carece de um planejamento adequado para que possa formar profissionais qualificados. Vocês defenderam muito bem esta ideia aplicada à engenharia, visto que esta se configura como uma ferramenta para suprir a falta de engenheiros no país.

  7. Bruna Correia,

    gostaríamos de agradecê-la pela participação. Realmente um desafio bastante significativo se diz respeito a metodologia de ensino que deve ser adotada, já que os cursos de engenharia necessitam de uma dedicação horária bastante elevada, assim o curso a distância poderia ser desenvolvido com duração maior do que o curso presencial, de forma a fornecer um ensino sólido e de qualidade. Além, é claro, de contar com algumas aulas presenciais de laboratório.