A Migração para Softwares Livres

A utilização dos softwares comerciais utilizados nos diversos setores do governo está com os dias contados. O processo de migração para os softwares livres no setor publico já começou gerando uma economia de mais de 5 milhões de reais para o governo.
Autores: nome email

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

18 thoughts on “A Migração para Softwares Livres

  1. Olá Adalberto,

    Muito bom seu artigo, curto e objetivo. Não tinha ideia do quanto significava em economia o uso de softwares livres para o governo. Muito interessante.

    Parabéns.
    Francine

  2. Achei legal as referências da utlização pela UFMG, mas ficou faltando aí a migração do para softwares livres em setores privados.
    Infelizmente a carência para programas técnicos é grande… ou a nossa falta de conhecimento sobre eles é que é maior…

  3. Adalberto,
    O seu resumo despertou o meu interesse em ler seu artigo, entretanto o texto não correspondeu às minhas expectativas. Esperava ver vários exemplos relacionados à economia com o uso dos softwares livres no setor público e senti que você se restringiu muito ao uso no curso de engenharia da UFMG.
    Contudo, meus parabéns por ter escolhido uma abordagem diferenciada do assunto.
    Atenciosamente,
    Laís Martins M. Chaves

  4. Realmente eu resolvi focar o artigo mais na migração no setor público onde existe já um decreto sobre migração. Acredito que no setor privado cada empresa é responsável pela sua política de utilização de sofwares. A medida que os profissionais seja formados com conhecimentos sobre os softwares livres ocorrerá uma tendência natural a migração, pois como ocorre no setor público economia seria grande.

  5. O maior problema na migração para softwareslivres continua sendo a falta de programas eficientes e confiáveis para ocupar o espaço dos comerciais. Mesmo com a economia gerada por esta migração, muitas empresas e órgãos públicos ainda preferem os softwares comerciais como o Autocad, como acontece aí no ICEX. Trabalho com softwares comerciais de edição de vídeo, e até hoje nunca ouvi uma indicação de confiança de algum software livre que substitua bem os comerciais que são usados normalmente nas produtoras de vídeo públicas e privadas que estão por aí.

  6. Antes o software livre era visto com preconceito nos laboratórios de informática nas escolas públicas, hoje o software livre está difundido em diversas áreas, especialmente na educação. Em uma escola de ensino fundamental na cidade de Teotônio Vilela, no interior de Alagoas, promoveu a migração de software proprietário para software livre na instituição e os profissionais descobriram um novo universo para se trabalhar com educação. Com as possibilidades descobertas no software livre, os profissionais da entidade aprenderam a promover uma série de atividades pedagógicas. Colocaram o laboratório a interagir com os conteúdos da sala de aula.

  7. É incrível os benefícios que um software livre, desde que corresponda à altura do software pago, proporciona.
    Além da economia financeira esses softares livres proporcionam uma maior liberdade para os usuários.
    Realmente em alguns casos, como os softwares mais técnicos da área de engenharia, os licenciados ainda são dominantes, mas esperamos que essa realidade mude, já que este é um assunto em constante discussão e evolução.
    Muito boa a maneira tranquila com que abordou o assunto.

  8. Realmente não sabia que era possível economizar tanto com a utilização de software livre. Espero que esses programas consigam atingir também o CCE, desde que sejam tão bons quanto os softwares comerciais que utilizamos.
    Muito bom artigo, bem objetivo.

  9. Eu queria primeiramente parabenizar o grupo pelo artigo, pois vocês foram direto ao assunto,muito objetivo, e ainda abordou um assunto que é muito interessante e que muitas pessoas não sabiam.Derrubando aquela idéia ruim que as pessoas têm a respeito de um software livre.
    PARABÉNS!!

  10. O artigo foi objetivo e apresentou o panorama geral da migração para softwares livres, especialmente no setor público. Sei que o que foi descrito corresponde a realidade, pois sou aluno de engenharia da UFMG e utilizo os laboratórios citados. No caso do Centro de Cálculo Eletônico da engenharia, a migração deveria ser mais rápida para que os alunos adquiram maior familiaridade com SL.

  11. Prezado Autor,

    Não vejo por este lado, creio que os softawares comercias sempre oferecerão maiores ferramentas dos que os livres, visto que o objetivo da sua criação é o lucro.
    Sendo assim, eles sempre serão aperfeiçoados e serão mais completos que os livres.
    Atenciosamente,
    Bruna Sariva

  12. Achei o artigo interessante e concordo quase integralmente com o ponto de vista do autor.
    Porém, em certas áreas, infelizmente ainda não temos softwares livres com a qualidade desejada.

    @Bruna Saraiva
    Software livre é diferente de software grátis!

    Att,

    Robson Claudino

  13. Achei interessante a abordagem à respeito do governo. O artigo está objetivo e conseguiu ser claro na proposta. Está de parabéns!

  14. Muito bom o artigo. Quem sabe com o incentivo do governo os softwares livres não se tornam mais difundidos. Vamos esperar por isso! Valeu a abordagem!

  15. Achei importante trabalho, que visualizar a economia alcançada por instituições que aderiram o software livre. Ele cita como exemplo, a gestão da CEAGESP – Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, que conseguiu economizar 1(um) milhão de reais e a Câmara dos Deputados que chegou a economizar 5(cinco) milhões de reais, assim, fica visível que alternativas existem quando se quer conter gastos públicos, com possibilidade de aplicar adequadamente os recursos.
    O governo federal poderia economizar muito mais com todas as instituições públicas, e agregar recursos que poderia investir em tantas áreas públicas que estão sucatadas.

  16. Bem interessante seu artigo, pois mostra a importância do software livre para a economia de empresas e do próprio governo na adoção desses softwares.

  17. “BRASÍLIA- A adoção de softwares livres, programas de computador que podem ser usados gratuitamente, possibilitou uma economia de R$ 380 milhões ao governo federal até 2008.”
    Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/ti/software-livre-economiza-r380-mi-ao-governo-19082010-4.shl

    Achei muito interessante a reportagem acima, pois traz mais números, além dos que foram abordados no artigo de vocês, que reforçam a idéia da dimensão da economia que foi feita ao adotar vários softwares livres em sistemas públicos. Esse dinheiro pôde então ser investido em muitas outras áreas, como a de educação, construção de hospitais, ou ainda na contratação de mais servidores públicos para os departamentos de tecnologia.

  18. a ideia é muito boa.a economia de instituições quando utiliza o SL.mas acho que poderiam desenvolver mais os argumentos.
    faltou um tchan.