nov 03

Educação versus Era digital

Este artigo visa discutir o impacto do uso da internet e seus recursos na educação básica no Brasil. A aprovação do Marco Civil no senado foi o primeiro passo dado para a democratização da rede no
país, mas o acesso a ela não inclui todos os estados, ou seja, está longe de ser igualitário. Para isso, programas como “Banda Larga para Todos” e a implementação dos recursos tecnológicos nas
escolas ainda são necessários para a democratização da informação e para que os alunos brasileiros do ensino médio tenham um melhor desempenho e, consequentemente, melhores resultados.

Autores: Fernanda Tavares Paiva
Pedro Rena Todeschi
Duane Nogueira Torres

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Mídias Alternativas: Um estudo semiótico

Esta análise tem como objetivo traçar quais são as caracteristicas, segundo a semiótica discursiva, dos níveis fundamental e discursivo em um texto relacionado aos meios alternativos de ativismo social, no caso, o ativismo feminista. Para tal, teremos como objeto de estudo um capítulo do artigo Imprensa Feminista no Contexto da Luta das Mulheres: Ativismo midiático, cidadania e novas formas de resistência, publicado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Paraná (UFPR), na Revista AÇÃOMIDIÁTICA de autoria de Karina Janz Woitowicz.
Autores: Rayana Alves de Almeida
Rafael Ferreira Alvarenga
Melina Sousa da Rocha
Lívia Cristiane Cândida Pereira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Análise de símbolos por meio da semiótica

ANALISE DE SÍMBOLOS POR MEIO DA SEMIÓTICA

Este trabalho tem como objetivo investigar o fenômeno da significação por meio de símbolos internacionais, tais como o da Cruz Vermelha e o símbolo dos Jogos Olímpicos. Para isso, será analisado o plano de conteúdo, semântico, de expressão e modalização etc. Serão utilizadas fontes e textos consultados nos sites oficiais da CICV (Comitê Internacional da Cruz Vermelha ), na Suíça, e do IOC (Internacional Olympic Committee). Ademais, será utilizado o livro ´´Semiótica: Questões Teóricas e Metodológicas´´, de Gláucia Muniz Proença Lara´´, com a finalidade de sustentar tal estudo.
Autores: Thomas Molzahn
Érica Magalhães Gomes
Christian Catão de Assis Souza

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

A defesa da internet como direito fundamental aos jovens

Este trabalho tem o objetivo de apresentar uma breve análise semiótica da construção do sentido do texto “O direito de fazer download”. O referido texto descreve o crescimento do número de jovens que visam à liberdade de expressão e de acesso aos dados disponíveis na internet, baseados na defesa como um dos direitos fundamentais aos internautas. O tema tem sido frequentemente discutido, pois, impor restrições ao livre fluxo de informações é agir de forma contrária ao direito de liberdade de expressão, ferindo assim, o direito fundamental da comunicação.
Para tanto, verificamos no texto os conceitos da sintaxe e da semântica no nível fundamental e no plano de expressão do discurso. Tendo como objetivo auxiliar no processo de compreensão do texto, como unidade de sentido, no qual se estrutura através da composição de níveis fundamentais, narrativos e discursivos, cuja análise permite entender os dizeres e como são ditos o que se diz. Nessa perspectiva, esperamos compreender a estrutura do texto tendo em vista suas oposições semânticas, pois através das quais é que se constrói o sentido geral do texto.

Autores: Ana Carolina Moreira de Paula
Adicélia Rodrigues Souza

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Categorias semânticas de base do nível fundamental em charge

Este trabalho tem por objetivo discutir as categorias semânticas de base, do nível fundamental, na charge publicada pelo cartunista Latuff, em março de 2014, no blog Latuff Cartoons. A charge aborda a censura da rede social Twitter pelo presidente da Turquia Recep Tayyip Erdoğan. Para tanto, a charge será analisada fundamentando-se na aplicação do quadrado semiótico segundo a abordagem de Lara (2012). Espera-se ao término do estudo fomentar uma leitura mais minuciosa da problemática da censura nos meios virtuais e o cerceamento da liberdade de cultura e expressão.
Autores: Isabela Cordeiro Lopes
Marcos Vinícius Massardi de Souza
Emanuele Garbero Lins

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Evento online: uma análise semiótica

O acesso à informação vem sendo cada vez mais facilitado pelo desenvolvimento tecnológico. Hoje, na rede, é possível encontrar os eventos acadêmicos realizados de forma online, uma modalidade ainda pouco difundida e explorada. Este trabalho propõe uma análise semiótica, tendo como base a teoria francesa, através da coleta de dados realizada a partir de um questionário aplicado em
uma universidade, de modo a revelar as concepções dos envolvidos sobre esse novo sistema e sua forma de interação. A análise dos questionários revela que o público entrevistado, apesar de desconhecer essa modalidade, se mostra a favor desse tipo de prática.

Autores: Thalita Santos Felício de Almeida
Isabella Aparecida de Souza Lisboa
Flávia Aparecida Andrade

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Utilização livre dos direitos intelectuais de natureza criativa no meio digital

Este trabalho visa abordar a liberdade que a internet propiciou. A Cultura Livre se baseia na liberdade de distribuir e modificar trabalhos e obras criativas livremente. Nosso objetivo é abordar a questão dos direitos autorais, domínio público, a facilidade na publicação de obras no meio digital.
Autores: Helida Maciel Pereira
Michelle Alda Oliveira de Souza

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

Liberdade versus opressão: no discurso antirracista

O objetivo deste estudo é investigar, no nível narrativo, os programas de manipulação recorrentes no discurso “Que a liberdade ressoe” de Martin Luther King. Trata-se de um texto veiculado num blog e de apelo antirracista, cuja análise pretende ser estendida aos planos de expressão e de conteúdo. O mesmo será baseado na teoria dos programas narrativos (abreviadamente PN) recorrendo aos conceitos de LARA (2012). Dessa forma, busca-se apresentar quais as fases do PN utilizadas para construir o discurso, bem como as etapas e percursos para edificar a relação entre sujeito e objeto. Além disso, expor quais as reverberações causadas pela retórica do discurso nos hábitos e comportamentos contemporâneos.
Autores: Glenda Kely de Almeida Bastos
Valéria Maciel de Souza
Thamara de Freitas Alves
Márcia Beatriz Fernandes Caetano

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este trabalho recebeu MENÇÃO HONROSA no UEADSL2014.2!

nov 03

Processamento de línguas naturais: desafios e perspectivas

As investigações recentes deram evidências positivas da possibilidade do diálogo entre áreas do conhecimento distintas: de um lado, as ciências exatas e, de outro, as ciências humanas. A síntese dessa oposição sempre será rica, porque sempre será o resultado de um trabalho interdisciplinar. É o diálogo constante entre as áreas de conhecimento da ciência da computação e da linguística que resultarão no avanço científico e tecnológico do processamento de línguas naturais. Pretende-se neste artigo, apresentar os campos de pesquisa da linguística computacional e do processamento de línguas naturais (PLN) a fim de apresentar os principais desafios e perspetivas.

Autores: Francielle Alves Vargas

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

nov 03

O percurso (e o discurso) da tecnologia: um enfoque semiótico

Esta palestra discute o percurso de bens tecnológicos, no caso, aparelhos celulares, de sua apropriação enquanto bem de consumo ao descarte e conversão em lixo. Para tanto analisamos dois textos: uma publicidade de aparelho celular e uma foto mostrando o problema do descarte desses aparelhos. Assim, verificamos a construção do discurso através do percurso gerativo de sentido do plano de conteúdo e das relações deste com o plano de expressão. Nosso referencial teórico é baseado no trabalho de Greimas; Courtés (2008), de Floch (1995) sobre semiótica plástica e de Morato (2008, 2011) sobre o plano de expressão em texto visuais.
Autores: Elisson Ferreira Morato

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui