maio 29

Aplicativos gratuitos de ensino de inglês para Android: breve relato de testes

A internet móvel cresce em número de usuários, novos recursos são incorporados aos aparelhos que, por sua vez, passam a demandar sistemas operacionais robustos, tais como a plataforma aberta Android. Nessa nova geração de celulares, os chamados smartphones, podemos encontrar pequenos softwares, os aplicativos, que são voltados para todos os fins possíveis e imagináveis tais como a educação. O objeto deste relato é aplicativos voltados para o ensino de inglês. Pretende-se apresentar uma análise dos recursos disponíveis para a aprendizagem do idioma em alguns aplicativos gratuitos, bem como tecer comentários acerca de seus benefícios e limitações. Conclui-se que são úteis em alguma medida, contudo, não são a solução definitiva na aquisição de uma segunda língua.
Palavras-chave: Android; Aplicativos; Aprendizagem de Inglês.
Autores: Carlos Henrique Silva de Castro

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

Liberdade e Oxigênio

Para os que viram a Internet surgir, que participaram no contexto acadêmico do surgimento de um serviço de busca como o Gopher, para os que navegaram com o browser Links, a rede global é sinônimo de Liberdade. Naquele contexto iniciador a Liberdade pode ser vista como o oxigênio que permitiu a aparição dos seres multicelulares neste planeta. Ultimamente essa Liberdade (oxigênio) tem promovido a aparição de lindas e maravilhosas criaturas, mas também algumas (poucas) muito medonhas…
Autores: Thomas Soares

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

Histórias, Redes Sociais e Memória

Das várias metáforas inadequadas que usamos ao falar sobre computadores, a que mais incomoda o autor dessas linhas é o uso do termo “memória”.
Podemos dizer que o que chamamos de memória nos computadores, é um dispositivo capaz de armazenar e recuperar dados, com precisão matemática, em código binário. De um modo bastante diverso, entre nós humanos, a memória é um processo muito mais complexo de reconstrução de uma experiência vivida no passado “pelo confronto com o presente e em comparação com outras experiências paralelas”1. Numa primeira leitura, se comparamos a memória humana com a dos computadores, a nossa pode ser considerada “falha”, por não funcionar “acessando” uma lembrança com perfeita exatidão, mas sim recriando, reconstruindo lembranças do passado.
E é nessa construção que se encontra a beleza da memória humana.
Autores: h.d.mabuse

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

As redes virtuais e os movimentos sociais

As Redes Sociais virtuais têm sido palco de diversos movimentos sociais de grande e pequena escala. A amizade é a paixão geradora desse motor social e os discursos existentes nesses movimentos têm como alvo um anti-sujeito e ou anti-objeto definidos. Trata-se de um tipo genérico de amizade sob o qual são construídos e interpretados esses discursos de grande apelo passional e emocional. Esse trabalho procurar correlacionar a amizade e as características do discurso sobre esses movimentos sociais.
Autores: Woodson Fiorini de Carvalho
Gustavo Luiz Fernandes de Morais

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

Liberdade na internet e aprendizagem: o que compartilhamento de conhecimentos na rede possibilita em termos de aprendizagem?

A quantidade de informação disponível na internet aumenta a cada minuto, numa escala jamais vista antes na história da humanidade. A utilização dessas informações para fins de ensino é polêmica por diversos fatores: dispersão do conhecimento na rede (porque é muito e não está devidamente organizado), a proliferação do plágio, desconhecimento de licenças, informações não averiguáveis, dentre outros, acarretando à parcela de conhecimento confiável, que é, sem dúvida, significativa, um sentido duvidoso a despeito de sua integridade. Esta mesa aborda essa questão, da internet na sala de aula e a relação entre aprendizagem e diversão.
Autores: Ana Cristina Fricke Matte
Carlos Henrique Silva de Castro
Daniele de Oliveira
Mariana Furst
Emanoela Cristina Lima
RENISE CRISTINA SANTOS

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

Liberdade na internet e aprendizagem: relações dentro e fora da sala de aula quando a aula está na rede

Esta mesa redonda foi montada para discutir temas como trabalho em grupo, presença humana e feedback em situação de disciplinas online na Universidade, diante da questão da liberdade na internet. Liberdade como libertinagem ou liberdade com responsabilidade? Liberdade para “trollar” ou liberdade para compartilhar. Os convidados possuem experiência com atendimento a distância sincrônico e assíncrono em disciplina online oferecida em cursos presenciais da UFMG.
Autores: Ana Cristina Fricke Matte
Francine de Souza Andrade
Aline Furst Akar
Thalita Santos Felício de Almeida
Denise Coura Rodrigues
Agda Mendonça
Eclésio Giovanni de Fátima Silva

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui