maio 22

Liberdade na internet e aprendizagem: o que compartilhamento de conhecimentos na rede possibilita em termos de aprendizagem?

A quantidade de informação disponível na internet aumenta a cada minuto, numa escala jamais vista antes na história da humanidade. A utilização dessas informações para fins de ensino é polêmica por diversos fatores: dispersão do conhecimento na rede (porque é muito e não está devidamente organizado), a proliferação do plágio, desconhecimento de licenças, informações não averiguáveis, dentre outros, acarretando à parcela de conhecimento confiável, que é, sem dúvida, significativa, um sentido duvidoso a despeito de sua integridade. Esta mesa aborda essa questão, da internet na sala de aula e a relação entre aprendizagem e diversão.
Autores: Ana Cristina Fricke Matte
Carlos Henrique Silva de Castro
Daniele de Oliveira
Mariana Furst
Emanoela Cristina Lima
RENISE CRISTINA SANTOS

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 22

Liberdade na internet e aprendizagem: relações dentro e fora da sala de aula quando a aula está na rede

Esta mesa redonda foi montada para discutir temas como trabalho em grupo, presença humana e feedback em situação de disciplinas online na Universidade, diante da questão da liberdade na internet. Liberdade como libertinagem ou liberdade com responsabilidade? Liberdade para “trollar” ou liberdade para compartilhar. Os convidados possuem experiência com atendimento a distância sincrônico e assíncrono em disciplina online oferecida em cursos presenciais da UFMG.
Autores: Ana Cristina Fricke Matte
Francine de Souza Andrade
Aline Furst Akar
Thalita Santos Felício de Almeida
Denise Coura Rodrigues
Agda Mendonça
Eclésio Giovanni de Fátima Silva

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 16

Redes sociais: possibilidade de informação ou mera distração?

As redes sociais têm se tornado cada vez mais populares nos últimos anos, principalmente entre o público jovem, sendo que algumas pessoas chegam a ficar horas por dia em contato com esse tipo de mídia. Assim, é comum a crítica que o uso dessas mídias é prejudicial para estudantes, propiciado por uma excessiva liberdade na internet e falta de interesse em outras atividades. No entanto, as redes sociais também se tornaram um espaço importante de
compartilhamento de informações, inclusive profissionais, sendo utilizadas inclusive em processos seletivos de empresas. Este artigo pretende realizar uma discussão criteriosa sobre o papel das redes sociais para estudantes e jovens profissionais, se é possível definir um padrão de uso em detrimento das liberdades individuais e como essas ferramentas podem contribuir para relações profissionais.
Autores: Vinícius Gomide de Castro
Thiago André de Oliveira
Taiga Cafiero Garcia

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2012.1.

maio 16

O novo mercado: os gigantes engessados e os pequenos flexíveis

No novo mercado, as grandes empresas não assumem novos papéis devido a estratégias protecionistas e engessadas. Cada vez mais essa forma de ação perde espaço perante o consumidor que opta em investir na criatividade e naqueles que valorizam o cliente. Tim Schaffer e sua produtora que arrecadou mais de 3 milhões no site kickstarter para o projeto de um jogo é um dos exemplo. Radiohead e o pague quanto quiser para comprar o CD deles outro. A mudança perante o mercado é a solução das grandes empresas, que não estão dispostas a abrir mão para a competitividade de pequenas idéias que podem ter grandes investimentos, criando um ambiente muito mais saudável para o consumidor e para as pequenas empresas.

Palavras-chave: kickstarter, flexibilidade, mercado.
Autores: Renata Rocha Mendes Ferreira, André Machado Coelho, Daniela Gil Greco, Rafael Guimarães Tavares da Silva, Thais Emanuele da Silveira Almeida.

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

Este artigo recebeu Menção Honrosa pela Comissão Científica do UEADSL2012.1.

maio 16

Um bloqueio à liberdade cultural

Nossa palestra tratará do assunto mais falado no momento na internet: a censura à cultura livre e à disseminação de informação na web, que está ocorrendo principalmente através de políticas e projetos de anti-pirataria, como o SOPA (Stop Online Piracy Act), PIPA (Protect IP Act) e ACTA (Anti-Counterfeiting Trade Agreement). Iremos discutir a origem e a razão destes projetos, sobre como eles poderão ser prejudiciais à cultura e aprendizado da sociedade, e o que podemos fazer para ajudar a tentar impedir essas ações.

Palavras-chave: SOPA, PIPA, ACTA, direitos autorais, liberdade, pirataria, censura, propaganda
Autores: Ivan Ítalo Ituassú
Vinicius Mundim Zucheratto
daniel vinicius de oliveira
Guilherme Henrique de Assis
Pedro Onofre Santos

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 16

SOPA e PIPA: conceito, desdobramentos e consequências

Os projetos de lei norte-americanos Stop Online Piracy Act (pare com a pirataria on-line, em tradução livre), conhecido como Sopa, e “Protect IP Act” (ato para proteção da propriedade intelectual), chamado de Pipam foram um dos assuntos mais comentados de uma ano que ainda nem sequer encerrou o primeiro triméstre. Tudo isso porque, por tentarem cumprir noções quase óbvias de proteção à conteúdo e combate à pirataria, intereferiram no dia-a-dia mundial após ações que estão só no começo.
A retirada do site MegaUpload do ar foi o estopim para uma série de manifestações no mundo todo e à polêmica.
A controvérsia está na punição prematura, antes mesmo de um julgamento, de sites que seriam de pirataria, em um mundo que gira em torno da informação rápida e compartilhada.
Autores: Camila Rodrigues de Faria
Sofia Rinaldi Ramos
Jéssica Ribeiro

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 16

Limitando a Liberdade Virtual

A internet dispõe de fontes infinitas de conhecimentos, compartilhamentos,
de formas de se expressar.Diante de tanta liberdade surge a pergunta:A Internet precisa ser normatizada? Por meio dessa pergunta será desenvolvido o artigo,
onde discutiremos os assuntos:censura, proteção
dos direitos autorais, monitoramento das informações por parte do governo e os direitos e deveres dos internautas.
Fazendo com que se esclareça o motivo de tantas discussões e ações para
impedir o livre acesso de informações e publicações na internet.
Autores: Caio Henrique Guimarães Rodrigues
Pedro Araujo de Carvalho
Gabriel Gomes de Miranda
Talles de Oliveira

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 16

ACTA e seu poder de influência, qual será o futuro do compartilhamento digital?

ACTA e seu poder de influência, qual será o futuro do compartilhamento digital?

No dia 18/01/12 milhares de sites saíram do ar. O blackout contra o SOPA (Stop Online Piracy Act) apresentou grandes resultados e repercussões. Porém, um dia depois foi preso o dono do Mega Upload , forma que o FBI encontrou para demonstrar sua força. Em contra-ataque o Anonymous tirou do ar os principais sites envolvidos.
Após a vitória sobre o SOPA e o PIPA, ainda permanece a questão do ACTA ( Anti-Counterfeiting Trade Agreement), que possui abrangência global. O ACTA tem como função criar por meio de acordos internacionais, um acordo de monitoramento e punições para violações de direitos autorais.
Contudo, a lei ainda não está em vigor. Apesar de vários países já apoiarem o acordo, ainda é necessário que mais 6 estados ratifiquem o acordo. Assim sendo, o ACTA possui apoio, mas ainda não possui poder legal.

Palavras chave: SOPA, ACTA, compartilhamento, direitos autorais.
Autores: DANIELE SALGUEIRO DE MELO
ianina maria de morais del rio
Iago Fernandes Gouvêa
Débora Pereira Pinto
Lucas Giovanni Irias
GUILHERME MARQUES CHINELLATO

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui

maio 16

O molde de consumo de uma nova era.

Como as novas tecnologias mudaram a forma de consumir conteúdo (como por exemplo o fechamento de locadoras), quais as alterações corretas (como venda de musicas pelo itunes) e erradas (como vender codigos para jogar online jogos usados).
Autores: Gabriel Lodi Moraes de Vasconcellos
Felipe Augusto Braga Viana
Welleron Rubens de Amarante
Salatiel Ribeiro dos Santos

Leia o ARTIGO COMPLETO aqui